domingo, 30 de novembro de 2008

Presépio





Hoje fizemos o Presépio!

Voltamos a ler-te a história do nascimento de Jesus

E deixámos que colocasses as imagens na cabana,

previamente forrada a musgo e cheia de feno!

Recriamos o ambiente ancestral do nascimento do Menino.

Entramos no Advento e preparamos-te para a grande festa do ano:

O NATAL!

Queremos contrariar o espirito comercial da época,

e incutir-te que o verdadeiro sentimento de Natal,

está dentro de ti e deves mantê-lo todo o ano.

Já separaste brinquedos,,

Já seleccionaste um livro,

Já pensaste numa surpresa para fazer,

A quem nada tem, a não ser uma esperança imensa de receber!

Vais entregar presentes, com o laço do sorriso.

Tal como fazes noutras épocas do ano: vais dividir!

E eu, vou sentir que te ajudei a crescer!

sábado, 29 de novembro de 2008

Plic-Ploc...Cai Neve


Vejam cá quem está!
Veio, mas não veio sozinho!
Trouxe a neve e o gelo!
O frio, como visita,
Trouxe de presente os flocos de neve
Como quem brinda uma prévia despedida ao outono
E dá o braço da elegãncia ao prenuncio do inverno!
Trouxeram alguem que sopra,
Que lança um sopro veloz e frio.
Como quem quer varrer os residuos da estação.
Estão radiantes por poder entreter os anfitriões!
Estendem os braços, brindam ruidosamente
Presenteiam quem os recebe
Com uma paisagem de candura
E um novo vestido branco
Para os braços já desnudos
Das árvores que os esperam.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008


É deste tempo que gosto!
O Ruido e a Luz enamoraram-se!
Raramente se encontram e mostram o seu amor!
Ele, vem em força! O seu estrondo assusta os desprevenidos!
Ela, sucede-lhe na chegada, com uma aparição clara e imensa!
Ele, anuncia o seu amor em brados bem audiveis!
Ela, aproxima-se dele com uma serena aparição.
Quanto mais se aproximam, mais se fazem notar,
mais o Ruído se ouve em sitonia com a Luz!
O estrondo sente-se com a fusão entre o som e a luz,
que deixa o céu a chorar de felicidade.
Agora que se afastam, ouve-se a calma!
Sente-se os efeitos deste amor...

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Mar meu


Este é o som do mar onde descanso!
Ouvem-no? Conta agitado os seus dias,
e só quando se aproxima sussurra os seus sucessos!
Bate fortemente na dureza da rocha, sem magoar!
Envolve, como só ele sabe, o ar e o céu.
Comunga de sensatez e de persistência
Não perdoa porque não tem que o fazer!
Este mar, lava a alma e liberta o espirito!
Este mar, fala alto e limpa névoas!
Este mar é confidente e conselheiro!
Este mar imenso é meu e teu!
E nele, poderemos sempre repousar!
Boas marés...Repousados marinheiros!
Eternos companheiros!





quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Quem sou




Sou no que escrevo
O que sinto pelo que vejo
Sou no que faço
Um olhar atento
Sou reflexo do meu espelho
Com nuances de felicidade
Sou um só ser
Que busca a harmonia
Sou apenas eu
Quem pretende sentir a vida
Dar-lhe uma tonalidade arco-íris
E pintá-la com o pincel da alegria!
Sou quem mostro
Porque gosto do que sou!




terça-feira, 25 de novembro de 2008

Luz


Quem tem luz, irradia e divide com os outros!
Reproduz e deixa os outros brilhar como seu reflexo.
Promove o sucesso e fica feliz ao ver o brilho de quem o rodeia!
Quem tem luz, guarda um pouco dela para si
Mas brilha muito mais com a luz que dá aos outros!
Repousa e abraça a sua intensidade...
Adormece, serenamente, ao som de tão intensa luz!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Luz natural, nocturna...


Hoje vi-te subir a montanha!
Vinhas envergonhada, mas com uma luz imponente
Branca e cheia, com olhar sereno sore o mundo!
Hoje vi-te crescer e senti o teu olhar atento
Notei a tua seriedade pelo comportamento da terra
Fiquei envergonhada pelos maus tratos cometidos!
Hoje, senti que tudo seria mais fácil
Se no mundo pequeno onde vivemos
Todos te venerássemos e respeitássemos!
Mas, como somos pequenos
Vamos continuar a usar-te como luz de inspiração
E permitir que como candeeiro natural
Decores as nossas almas,
E dês asas á nossa imaginação!

domingo, 23 de novembro de 2008

Para ti




Jamais os dias foram iguais
Jamais o olhar sobre a vida foi o mesmo
A partilha é constante, o entendimento é permanente
Olhamos os factos com visões diferentes
Mas sabemos ouvir a opinião do outro



Partilhamos os bons e os maus momentos
Tu, melhor que ninguém, sabes ouvir mais do que falar
Dás-me a vez para extrapolar as minhas iras
Apaziguas as minhas observações sobre as injustiças
Ponderadamente, fazes-me chegar à razoabilidade
A abordagem diferenciada leva-nos à proximidade
És um acérrimo crítico das mihas actuações
Conheçemo-nos muito bem,
Um conhecimento mutuo, que começou num olhar!
No tempo, encontramos o ponto de equilibrio
Vivemos livres nesta prisão chamada AMOR
Onde a minha admiração por ti se mantém!
...Já lá vão duas dezenas de anos
desde que assumimos o nosso namoro!
Continuaremos, enquanto sentirmos vontade...
Até sempre?

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Casamento de elementos naturais!

Este rio cor de prata, reflecte uma entrevista com a natureza!
Acompanha-o a mais bonita restinga natural,
onde o fim do Cávado se mistura com a imensidão do Atlãntico!
O casamento perfeito dos elementos está aqui:
o rio debruça-se gentilmente sobre o mar
O mar acolhe, ansioso, este rio
A língua de areia, em forma dunar, assiste a esta entrega, impavidamente!
O Céu? O ceú está lá para fazer justiça a esta beleza
Deixando-se espelhar nestas águas!
Resta-nos o buliço das aves para lhe dar movimento e som!
Vemos o bailado dos peixes, por entre as densas e verdes algas.
A plateia deste espectáculo natural, tem barrotes de madeira com bancos
Onde o bloco de notas é precioso companheiro
De registos cálidos e serenos de tudo o que nos rodeia!

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Onde?



Em que ponto gostariam de estar?

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

O protector


É alguém que me pega no colo!
Alguém que me faz sentir leve!
Quem me ajuda a dar força!
Me faz sentir bem por apoiar!
Quem és tu, Anjo de Guarda?

terça-feira, 18 de novembro de 2008


Hoje OFreitas, a mensagem vai para ti.
Tens vontade de cruzar os braços?
De desistir depois de tanta labuta?
Esqueces que a caminhada não depende da nossa vontade,
mas de Quem fez o traçado da estrada...
Vamos lá carregar baterias e continuar o percurso.
Depois de tanto esforço:
É PROIBIDO DESISTIR!!!



"É graça divina começar bem.
Graça maior persistir na caminhada certa.
Mas a graça das graças é não desistir nunca."

segunda-feira, 17 de novembro de 2008




Amar!Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui...além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar!Amar!E não amar ninguém!
Recordar?Esquecer?Indiferente!...
Prender ou desprender?É mal?É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!
Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!
E se um dia hei-de ser pó,cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca

domingo, 16 de novembro de 2008

O som dos teus passos

Oiço-te chegar pelo som dos teus pés descalços
Vens com sorriso aberto e com a dádiva de um abraço
Ternurenta, carinhosa, voz rouca ainda do sono
Afagas os cabelos e aconchegas os teus pés no meu colo
"Bom dia! Hoje vai estar frio? Para pequeno almoço gostaria de iogurte com cereais! E depois fruta."
A tua vontade será suprema! A partilha destes momentos e da festa que deles fazemos, fará de ti um ser sustentado em afecto. Fará de ti um ser equilibrado. Fará de ti um bom ser...
Esse investimento em ti, é permissa base na tua educação.Esse investimento em ti é AMOR!
Um amor que escuta os teus passos e procura orientá-los.
Um amor crescente e incondicional!

sábado, 15 de novembro de 2008

Uma doce verdade...







PORTUGALHADAS

Obrigada!

Foram duas horas de boas gargalhadas, numa sala cheia com som, luz (em estreia) e cor.
Sátira bem montada! Humor acutilante mas inofensivo, oportuno e muito, muito engraçado.
Uma noite agradável. Um grupo de jovens actores, cheios de garra para a representação, com peças montadas com bom gosto e muita carga afectiva.
Recomendo a toda a familia.
Parabéns VITRINE!

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Hoje vamos ao TEATRO!


Hoje vamos ao teatro!
Vamos ver a bela arte de representar
A doce sensação de vestir outra pele
De falar com a roupa, com a cor!
Hoje vamos experimentar a cultura de forma diferente!
Que a cultura entre em cena...

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

OLHAR...

Lanço um olhar na esperança de poder ver!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Olhos de borboleta Azul

Quero ter olhos de borboleta!
Olhos com asas e voar
Pular de pétala em pétala
E com eles viajar
Quero visitar os amigos
Neles poder pousar
Libertar pós de doçura
Bater asas e voar

terça-feira, 11 de novembro de 2008

MIMO


Houve um dia alguém que me fez sentir a importãncia de receber um mimo.
O dia acordou, o tremor apareceu, a estranha sensação de estar of apoderou-se de mim.
Foi um dia ímpar que me trouxe muitos mais pares...
Foi só mais um dia...de muitos iguais que viriam e ainda virão!
Foi só mais um dia!
Vieram em grupo e vieram a sós,
Vieram ruidosos e silenciosos,
Vieram de conhecidos e de desconhecidos
Vieram de longe e de perto
Vieram de ti, vieram de vós
Vieram muitos e tantos...vieram todos!
Um atrás do outro, foram todos cimentando os alicerces
desta estrutura: Eu!
Obrigada, MIMO!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Regresso ao Trabalho


Este dia marcou mais um regresso!

Regresso ao quotidiano das horas,

Regresso às viagens

Regresso aos contactos formais e informais

Regresso às conversas de deitar fora e às proveitosas

Regresso às mais profundas reflexões de HST

Regresso às Costinhas, para a sopa quente

Regresso à companhia de uma colega fantástica

Regresso ao meu "eu" profissional.

Este foi mais um regresso, com baterias recarregadas.

Hoje, foi mais um dia de bons ares pelo meu regresso!


domingo, 9 de novembro de 2008

Vinicius


" Quem já passou por essa vida e não viveu

Pode ser mais, mas sabe menos do que eu

Porque a vida só se dá pra quem se deu

Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu

Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não

Não há mal pior do que a descrença

Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão

Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair

Pra que somar se a gente pode dividir

Eu francamente já não quero nem saber

De quem não vai porque tem medo de sofrer

Ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão

Quem nunca curtiu uma paixão, nunca vai ter nada, não"


sábado, 8 de novembro de 2008

Esta é a minha grande aliada:

com ela anoto o que interessa,
com ela pinto uma tela catita,
com ela bordo as cortinas do teu quarto,
com ela afago a tua cara bonita!


Este é um gesto comum
Em cada momento de escolha
A mão segue a ordem dos olhos
Para tirar da estante
Mais um, menos um!
Uns são escolhidos mais que uma vez
Outros ainda não andaram
Pelo meu passeio das letras
Escolho em função de mim
Selecciono pelo prazer que trazem
Faço-os meus amigos
Venero-os pelo seu valor
Com lápis, marco em cada margem
Sinais dignos de nota
Faço tertulia das afirmações
audazes, sensatas ou somente significativas
Amadureço as suas mensagens
Divido-os com quem gosto
E ofereço-os a quem os valoriza e estima.
Educo para a leitura
E leio para educar
O retorno desta leitura
É a sensatez na escolha das palavras
Em cada acto livre de falar, escrever

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

NOITE CLARA



Veio a noite e com ela o repouso,

Vazia de sentidos mas cheia de emoções.

Veio o luar com a sábia coruja.

Veio o orvalho limpido e as suas gotas cadentes

Assiste-se ao movimento de rotação do planeta

Sem percebermos que na calmia da noite

tudo se move,tudo se altera!

Chamamos o luar que inspira poetas

Olhamos o céu que oferece as estrelas

Veem-se os ramos desnudos a decorar a paisagem

Aprecia-se a noite na sua radiosa escuridão!





O destino deu-me a melhor familia do mundo...
...os amigos escolhi-os eu!
Esta flor é para ti, minha querida amiga Jackie!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Novo dia, outro brilho


Ouvi amanhecer,
Senti os primeiros passos de vida,
Acelerados rua abaixo.
Vão apressados em direcção a nada!
Alvorada de mais um dia,
Com cor, luz e som.
Ouvem-se os silêncios!
Apetece gritar da janela:
Acordem, já é manhã!
Mas não!
O descanso não se interrompe,
A calmia degusta-se
aprende-se a senti-la e a vivê-la
como se fosse um rubi
guardado numa arca
com acesso só para alguns!
Toca o despertador!
Sim, são horas de acordar.
São horas de pular para a vida
Partilhar o café da manhã
Dar e receber os primeiros mimos
Sim, são horas de valorizar um sorriso
e retribuir com o mesmo esplendor!
São horas de voar...
e sentir a leveza da vida!



quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Boa sorte!



Boa sorte!



Hoje, mais do que nunca, penso em ti!


Um susto é sempre mal recebido, mesmo que não passe só de um susto!


O susto chama-se inflamação da cabeça do fémur ou Síndrome de Perthes.


Preferia que fosse em mim, nunca em nenhum de vós!Nunca em ti, minha pequena!


Mas, como é uma inflamação, vai desinflamar e passar...
Assim será!




terça-feira, 4 de novembro de 2008

Um lápis e um Bloco de Notas








Trago na carteira um lápis e um bloco de notas
Nos momentos de espera, fazem-me companhia
São companheiros fieis com uma boa capacidade de audição
Não julgam, não interrompem, não avaliam a emoção de escrever
Tenho um bloco de notas que sempre que posso embelezo com um boneco
Animo-o com uma flor e guardo-o com muito amor
Tenho um bloco de notas que jamais abandonarei
Nele vou deixando os momentos dignos de nota


Folha a folha, vou trazer o meu bloco de notas

segunda-feira, 3 de novembro de 2008


Conto as folhas que juntei
Antes da chegada do vento
Conto as folhas que sequei
Antes que chuva viesse
Em cada folha apanhada
Há uma história para contar
A história de uma vida em árvore
Que as prendia no seus ramos
Decidiu largá-las,uma a uma
E libertá-las ao sabor da sua sorte
Apanhei-as e juntei-as
Cuidei delas mesmo assim
Juntei-as com cuidado
e fiz delas um pouco de mim...

domingo, 2 de novembro de 2008


Desde o dia em que nasceste
Que temo não segurar a tua mão!
Releio a dedicatória que escrevi no último livro que te ofereci:
"...gostaria de te construir um mundo de betão, onde a injustiça e a tristeza não entrassem"...
Este mundo de betão para o qual te preparamos, tem fissuras como anomalia de construção.
A argamassa dilatou e cedeu às externalidades. Por isso, tento todos os dias transmitir-te os mais importantes valores do ser humano para que, em confronto com o que o mundo te reserva (de bom e mau), saibas enfrentar e reagir.
Dar-te-ei sempre a mão, mas também saberei deixar-te seguir o teu caminho.
Amar é também libertar...
Voa meu pássaro veloz. Alcança tudo o que desejas que eu estarei cá para te ver voar!

sábado, 1 de novembro de 2008

Sábado à noite!


Sábado à noite!O dia está a acabar.
O frio bate às janelas sem que ninguém o queira deixar entrar!
O céu, adivinha o negrume do dia, onde todos ocorrem aos cemitérios, hoje
pesados de dor e sofrimento, antigo ou recente,estampado nos rostos.
Chora-se a saudade e o que ficou por dizer...
Apertam as emoções e jamais será tempo de voltar atrás!
Em casa, escolhe-se o maior cavaco para a lareira, assam-se castanhas e festeja-se a vida.
Ouve-se a voz da criança,na tertúlia animada sobre os filmes que irá escolher para ver. Ganhou o "um-dó-li-tó", "Pedrito em Era Uma Vez o Corpo Humano - o coração", que lhe fará companhia após conclusão dos trabalhos de casa.
Estalam as achas na fogueira, ouvem-se os nomes começados por P: "Mãma, Pequeno Polegar é com "P", não é?".
Segue-se o momento de cinema e o pedido singelo de colo...
Assim será...