domingo, 28 de novembro de 2010


Foto da net


Dançar a vida...
Percorrer segura o dia que se enfrenta,
Rodopiar as valsas,
Olhá-las como se todo o salão fosse nossa pertença!
Quando o ritmo da dança mudar,
há novos passos a aprender!
E de novo se esvoaça neste baile,
neste adejo seguro, onde os passos se sucedem e a música se apresenta expectante,
aguardando a nossa chegada para tocar!
Um passo de cada vez...dando voltas ao grande salão de dança que é a VIDA!



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

foto da net
Hoje o meu céu é o teu céu!
Apareceu a sorrir, com leves nuances de branco por todo o chão verde!
Geou, e os picos da relva fumegam a brindar os primeiros raios de sol!
Bom sinal para mais um dia de brilho!

Já há brindes simpáticos pela manhã...
...e pelo fim de tarde, mais brindes receberás!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Pedra...equilibrio seguro!

foto da net


Encontrou equilibriu e por lá ficou!
Sente-se pedra, senta-se segura !
Sente-se atenta ao que do seu pedestral vê!
Passa-lhe o sol, passa-lhe a lua,
Fustiga-a o calor e a geada quando noite escura!
O vento varre-lhe as impurezas
E os arbustos, que a decoram, ouvem-lhe as tristezas!
Sente-se só, mas sente-se segura!



terça-feira, 16 de novembro de 2010

16 de Novembro de 2010
PARABÉNS
JOÃO MENÉRES
pelo teu aniversário!

domingo, 14 de novembro de 2010

Outono em casa

foto da net


São tantas as cores, tantos sinais de vida a mudar,
que se apresentam voluntários num tapete de rua a decorar!
Trouxe alguns para casa,
que convidei a sentar num cristal,
para com o tempo me prender a admirar!
São delicados ao toque,
e gostam de docemente estalar!
O vento já não os fustiga,
Nem o luar os invade
 Hoje estão quentes em casa,
à espera de um dia à terra voltar...

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Encantamento...

Foto de João Menéres

Psiu!Psiu!
Falem baixinho no alto da colina!
Ao passar, de relance, vi o segredo da menina!
Vi um verde prado, numa echarpe de seda ramagem!
Vi o oiro no olhar, vi a mais bela imagem:
- de soslaio, vi o toque do chão no robusto tronco da árvore,o carinhoso ar que falta e aperta no peito da natureza que respira paixão!
Olhei a voz do silêncio no riso da folhagem quando pelo vento beijada!
Ouvi, suavemente a canção que fez do momento de passagem a história da viagem...
Texto de Luísa Vilaça

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Um momento especial!


Um presente de João Menéres
http://grifoplanante.blogspot.com/


A melhor definição para o meu estado é: "tipo Zen"!
Escrever para as imagens do João Menéres é algo espontaneamente belo!
Porque as imagens convidam a escrever,
Porque dissertar sobre elas é um alento à criatividade!
Porque, porque, porque...enfim, porque não faltam motivos!
Inesperadamente, tive um texto premiado num concurso do seu blog, e que foi escolhido pela nobre senhora L. REIS, do blog DIGIT@L PIXEL.
Como consequência fui agradávelmente presenteada com um livro do autor do blog, onde eu própria fui Grifo ao planar de imagem em imagem! Fiz o culto da água, nas palavras de Agustina Bessa-Luís e viagei no sonho de conhecer pessoalmente o autor de tão belo desafio: João Menéres!
Aconselho vivamente, que fiquem curiosos pela "REVELAÇÃO DA ÁGUA", uma maravilhosa parceria publicada por dois grandes nomes do nosso país: Agustina e
João Menéres

Amanhã, haverá nova postagem com a imagem impressa em tela, que gentilmente recebi (e logo coloquei em local de destaque cá em casa), e com as palavras para ela escritas.
Até lá podem sempre ver em:
http://grifoplanante.blogspot.com/2010/11/resultado-do-concurso-dos-1ooooo.html#comments






sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Dedicação...

foto da net

Se em dias de frio me sento à lareira e me enrolo sobre mim,
Em dias de verão, dedico o conforto à cadeira e dou gargalhadas sem fim!
Num dia, escolho o livro de capa bordeaux impressa a oiro,
No outro, sirvo-me do livro como leque, um tesoiro!
Em tempo de dias pequenos e sopros gelados,
escolho a ementa mais quente, preparo os temperos mesmo que inventados!
Se o tempo vem com raios de sol,
primo no cesto das castanhas, na salva de romãs e no jigo de noz!
Entre os dias frios e quentes
decoro a minha cadeira com manta cor de paz,
e nela deixo a repousar o lápis e o papel,
à espera de novos compassos das notas do tempo
para escrever ou sonhar, tanto faz...

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Iluminação natural d´Outono


Deliciei o olhar ao ver o traje da natureza!
Hoje mostra acessórios reais, Expira a sua imensa beleza!
Sopra  vento de feição, Sopra vaidoso de seu ar,
sacudindo para longe as folhas cansadas,
mostrando na passerele a perfeição do criar!
Estes lampejos laranja, que brilham no jardim lá de casa
São reflexos cintilantes da ternura do Outono,
Do fulgor da lareira acesa, do chá quente e canela,
e do som baixinho a tocar!