sábado, 22 de setembro de 2012

De olhos fechados, pensei...

foto da net
 
Foi a vida que te fez doce,
menina mulher,
de candura no sorriso e discurso acertivo mas sereno?
Foi a vida quem te ofereceu,
tamanho e medida,
para construires castelos em teu redor?
Foi a vida que te trouxe,
presença e espírito,
para acalmar o tumulto dos horrores?
Que intensa vida é esta,
pessoa de bem querer,
que vences a perda antes de perder?
... 
Vive devagarinho, para a vida te viver!
 
 
 

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Deixa-me falar primeiro...

foto da net
 
 
 
Deixa-me falar primeiro
Dizer que a lua brilha e a luz vem de dentro,
Do cantinho supremo que alimenta a raiz
e nos tropeça em emoções contidas!
Deixa-me dizer sem tremer com a voz
Que as palavras são parcas
E parcas são as ações perdidas
quando todos se rodeiam de nós!
Deixa-me falar primeiro,
Dizer que choro com tulipas brancas embrulhadas em jornal,
que gosto do afago no cabelo,
do olhar de cumplicidade,
e da prioridade em me deixares falar!
Só tu sabes porquê!
 
 

domingo, 16 de setembro de 2012

Companhia das ondas...

Foi tão bom caminhar sozinha,
Servir de companhia às ondas que em mim estalaram
e
a elas poder dizer o que nem o silêncio poderia ouvir!
Foi tão bom ter o mar como confidente,
de companheiro dos passos dados e apagados num momento ténue de hesitação!
Quantas vezes na dúvida da caminhada vem a certeza de estar bem acompanhada...
Se no mar mora a confidência,
na terra estão escritas as ações,
 e no céu a vontade de tudo mandar voar...
Foi tão bom caminhar sozinha!
 
 
 

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Homens da Paz

foto da net
 
 
Não sei explicar o que sinto,
se revolta por ver tudo a arder ou vontade de estes homens promover!
Não sei dizer como os vejo,
se aventureiros e destemidos, ou valentes e salvadores dos pinheiros encolhidos!
Não sei olhar e ver quem são, como são,
se inquietos e combatentes ou "homens da paz" impacientes !
Sei apenas dizer: OBRIGADA, pela valentia que nos acalma
e pela suprema sabedoria em apagar os fogos que grassam a desgraça do verde património! 

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

O dia em que o céu desceu ao mar...

foto de Luísa -  6 agosto 2012
 
Foi neste dia que o céu desceu ao mar, beijou-lhe a mão e sorriu!
Fez-lhe um tempo especial, uma cortesia fora do normal,
uma passagem sagaz e carregada de plumas de água!
Envergonhou-se do sol, tapou-lhe a passagem como quem veda o acesso que aguarda a surpresa!
Foi um dia de sorte, de caminhos de Santiago, de cruzadas e cruzeiros no oceano...
Neste dia, que o céu desceu ao mar,
vi-te linha de fusão,
vi-te azul igual entre o brilho emprestado
e o azul que vos confunde e nos é dado!