sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Silêncio ruidoso

foto da net

Um dia pedi ao vento para silenciar a sua passagem!
Disse-lhe, baixinho, para passar sem dar sinal,
talvez que fizesse o seu trajeto sem se mostrar!
Pedi delicadamente! Nada de mal!
De repente, levantou-se em polvorosa, reagiu nervoso,
passou com marcas de vendaval e deixou tudo que julgou necessário!
Ofereceu, abruptamente, um impacto de luz que se apagou,
cegou!
Espalhou um ruído estrondoso, ensurdeceu!
Deixou-me em silêncio por o não poder calar...

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O desenho de hoje

foto da net

Hoje não há notas para tocar
Nem tintas para colorir
Não se ouvem melodias para dançar
Não se sentem aromas a saborear!
Apareceram apenas as letras para escrever
num ensaio de redação para um dia voltar a ler!
Hoje os olhos fecharam-se do comum,
e os lábios abriram-se tenuemente sorrindo 
pelo  burburinho que vos ouvi!
Em tom de observação sem olhar
escreve-se um dia que passou devagar...
...tendo o lápis como testemunha, 
num qualquer momento a desenhar!
Passou, 
com marcas eternas de viver e continuar!


quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Posso voltar?

foto de Xosé Figueroa Lorenzana - Sabadelle

Fechaste-me a porta ao entrar!
Não permitiste que entrasse
quando só queria ver a cor das heras que se espalhavam,
espelhando o cuidado que mostras com tudo!
Fechaste-me a porta devagar,
entre caramelos e sorrisos inteligentes,
tal licor de café, de noz ou de ameixa ardente!
E eu, por ver a porta fechada,
tive vontade de a galgar!
Transpor-me frente ao obstáculo e enfrentar a tua fúria
de no momento a porta me fechares!
Posso voltar e entrar?
Prometo que só colherei uma hera,
a secarei nas páginas do que escrevo,
onde um dia contarei a minha história...

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Viagem adiada

foto de Xosé Figueroa Lorenzana - Sabadelle



Sentei-me na ladeira para olhar e ver o céu
amparada pelo xistoso muro montado de histórias!
Fechei os olhos ao frio e vi-lhe nuvens rasgadas pelo vento,
tal amparo improvisado num delicado momento de lazer!
Hasteiam-se secas as varas de verdes que outrora aqui moraram
e
 musgam-se as pedras duras de fragilidade num qualquer caminho traçado em Sabadelle!
Deleites de visita, de sonho sonhado acordada,
numa viagem adiada pelo tempo...

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Fláxia


foto by Luísa - Fláxia "Uma flor da Galáxia" - de Ana Luísa Fernandes


Agradecer ao presente o carinho dado no passado
retribuído em cada gesto de ternura.
Ver a técnica que guarda inata
ou um pequeno sabor criativo que disfarça...
...talvez por ser criança!
Gosto de a ver empenhada
de olhar distraído pelo imaginário
mesmo quando as amígdalas imploram chá quente!
Hoje nasceu "Fláxia" a mais bela flor da galáxia!

Luísa Vilaça Fernandes
Amo-te muito, minha filha linda!

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Procuro um livro...

foto da net

Procuro um livro leve, para carregar
quem sabe suave, para não machucar
talvez com poucas páginas, evitando saturar!
Procuro algo para ler,
algo que me prenda a atenção no verosímil
que me ocupe o imaginário e me faça sonhar!
Procuro um livro do dia,
que devore e recicle,
que deixe ficar perdido sem lhe sentir falta!
Procuro um livro para ler,
daqueles que não nos fazem pensar
que seja apenas transportável
e fácil de poisar!
...hoje vou ler,
para não ter que escrever!




sábado, 22 de fevereiro de 2014

Repouso do voo partilhado

foto da net

Segredei-te ao ouvido a cor do voo,
aquela que a guache guarda suavemente
e pincela delicada na tela do dia!
Pinta um ponto na extremidade
desenha uma diferença escondida
deposita um aroma de flor
nas têmporas auditivas
e reflete de mim
um pouco de cor!
O segredo hoje foi:
- estou contigo no voo!




Mensagem...

foto da net


Dobrei as folhas depois de lidas
num tempo de descanso não escolhido!
Dei conta da paixão,
do amor então sentido,
da razão sobreposta à letra
numa tarefa diária
de seleção de palavras!
Hoje escolhi ler-te, amor!
Ler-te no sorriso franzido,
na reflexão simples da minha complexidade,
no entendimento mutuo dos silêncios por nós escolhidos!
Talvez ver-te escrito nas páginas corridas,
dum prestigiado volume literário
de amor e bom senso...
Hoje escolhi ler-te.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Quando os olhos acordam a sombra...

foto de João Menéres - Porto


Quando os olhos se abrem
apanham a luz que falta brilhar!
Pedem, com sede, a cintilância do dia
para saciar a vontade de o acompanhar!
Apanhar as horas, o tempo, o decorrer da vida,
é tarefa incessante do ser ao levantar!
Hoje, o olhar apanhou o Porto a dormir,
debaixo da penumbra dum inverno teimoso,
que também mostra sede de sol.
Se desenhasse o olhar captado,
faria uma ementa gourmet
num prato servido de Saudade
pela falta do sol, do calor, da luz do dia a brilhar!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Passos

foto da net

Poderia acusar-me cansada da caminhada percorrida!
Ou então, enfadada pelo caminho que antevejo!
Poderia dizer-me coitada, que os pés já não acompanham!
Ou então, lamentar-me da sina que desconheço!
Poderia chorar pelo dedo apontado,
ou então queixar-me dorida por tanto mal desejado!
Mas,
tal calçada empedrada segura
vejo-me mais crescente, mesmo esmurrada!
E assim vou dando os passos,
andando devagarinho,
sem ferir os líquenes que furam em trevo
numa pétala de sorte
encontrada no caminho!

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Falar de amor é vencer

Desenho de António Ramos rosa oferecido por Gisela Ramos Rosa
Desde pequena, que oiço falar de amor!
Dou conta dos afagos,
 dos gestos, 
do carinho no olhar,
da repreensão
da regra, 
do nome filha,
do prazer em fazer o bem,
do crescimento sustentável
com ternura.
Desde pequena, 
que olho o mundo com carinho
e
carrego na mochila todo o discurso ouvido
como melodia de bem ser!
Bem ser...talvez!





segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Deixa eu te amar...

foto da net

"Deixa eu te amar, sem querer, sem marcar, sem prometer,

 sem esperar.

 Assim... Apenas te amar. Se assim você desejar

Deixa eu te amar,

eu prometo ir quando o sol se por em

nossas vidas. 

Eu prometo silêncio, ausência.

 Renúncia, se você precisar..."


in  Palavras & Sentimentos


domingo, 16 de fevereiro de 2014

Segunda-feira...


Foto by Rosario Ribeiro

Vês?!
Já cheira a segunda-feira
e fecha-se o sorriso espontâneo!
O dia já perdeu o aroma e espreitam-lhe as maleitas!
Vês?
Está a semana pronta a entrar e eu ainda descalça de energia!
Falta-me o tempero de folia, a vontade criativa de inovar,
enfim,
a vontade de ser segunda-feira!
Vês?
Não me apetece começar...

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Massagem de afetos

foto de Rosario Ribeiro - Celorico de Basto


Hoje banharia os pés em bálsamo de camélias!
Poisaria de pontas, levemente, no piso aromatizado de cor,
deixando os dedos contar as histórias repetidas que animaram o dia!
Enquanto o repouso se fizesse confidente,
chamaria o sono e dormiria,
tal pétala perfumada no descanso merecido de um fim de dia!
(Sinto até cócegas polinizadas
numa massagem de afetos recebidos)

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

O acordar de sonho...

foto de Rosário Ribeiro -

A vontade de começar tem forma de estrela
com pontas soltas de vontade
e
 um coração sereno,
numa folha verde-repousado!
Tem clorofila de energia carregada,
um suave tom
numa prova de vida agarrada!
Acordar tem folia,
tem programas marcados,
com sinais de fogo cruzado...
...num cruzamento de amor e cumplicidade!



quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

A cor do sono das camélias

foto de Rosário Ribeiro - Celorico de Basto

Pela manhã sinto o toque do vento
que a luz da lua vem desligar!
Preciso do raio de sol que espreita envergonhado
e teima em entrar!
Vejo as flores que despertam
com folhas que se despedem do luar
e flores que cumprimentam a alvorada!
Pela manhã,
procuro a cor do sono das camélias,
e nela pinto o dia a desvendar!
Pela manhã começo o dia...
...quantas vezes sem vontade de começar!


sábado, 8 de fevereiro de 2014

Olhar a norte

foto de Luísa - varando a norte

Se olhar a linha do horizonte
entre o verde musgado e o cinza mesclado
há uma cordilheira montanhosa
que se presenteia a quem a olha!
Se levantar o olhar
procuro o azul algodão
que se avolumou no céu
e precipitou em flocos macios por terra!
No ensaio que o tempo apresenta
pincela-se o desfile de cores
que tece rasgados elogios à natureza!
São traços do acaso...
...encontrados num olhar de sorte, a norte!

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Prometes?

foto da net

Promete que me acordas quando chegares,
Que me dás um toque suave sem me despertares para a realidade!
Promete-me que o tempo vai passar sem deixar marcas,
deixando apenas uma lição de tolerância e de amor!
Promete-me o possível,
como o por do sol todos os dias,
ou o luar entre mãos!

Prometes-me?
Vou acreditar como se fosse menina...

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Tentativas de escrita

Foto da net

Tentei escrever o teu nome, não consegui!
Tentei desenhar o amor, não fui capaz!
Tentei lembrar onde falhaste...tu não falhaste,
tu nunca falhaste!
Deste-me a mão, desde pequenina!
Acolheste-me no colo,
deste forma aos meus caracóis,
fizeste-me saias, bibes, laços, laçarotes
e ainda tiveste tempo para bordar os meus lençóis!
Deste-me a alegria sincera no olhar,
o reconhecimento humilde do cansaço,
a oferta genuína do sorriso...
...e a regra de estar na vida serenamente,
cumprindo!
Deste-me o melhor de mim!

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Um traço de Ramos Rosa

foto by Luísa - Desenho do ilustre António Ramos Rosa
oferta de Gisela Ramos Rosa

Quis um dia a sorte que
na aventura da blogosfera
me cruzasse com seres do planeta de sonho, das letras!
Quis a sorte que Gisela Ramos Rosa me lê-se
e permitisse que na "linguagem dos rostos"
escrevesse um sinal ortográfico!
Divaguei...
...errei e acertei nas palavras que viajaram pelos rostos!
Escrevi, com a ponta do lápis,
o sentimento de mim na interpretação do olhar,
e da cor do sorriso.
Da suavidade do toque sensual,
entre o rosto feminino
e um traço de ti!
O risco?
O risco foi um acento tónico na palavra
amizade!

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Sou pessoa...sou alguém!

foto by Luísa - Parque das Nações

Entre as páginas de um livro e um álbum de fotos
desfolhei as imagens para ler o passado!
Entre o riso solto içado e o sorriso sereno em estandarte,
eis que me coloco nas nuvens pela leitura que faço!
Tenho o mundo à esquerda,
entre o agarrar do lápis, do pincel, da raquete de ténis
ou mesmo da forma que dou ao papel!
Tenho à direita o sonho,
mantendo-me centrada no resto do mundo!
Sou pedrinha de godos, ama(ra)da pelo espelho que ilumina o dia!
Sou rocha segura, vulnerável ao vento!
Sou um pedaço de gente que vive firme, ao relento!
Sou pessoa...sou alguém!