segunda-feira, 30 de junho de 2014

Avança, o verbo é não parar!

foto da net

Quando a vontade é desistir,
há uma voz que sussurra: espera,
o verbo é avançar!
Quando as ideias deixam de fluir,
existe uma mão que te empurra: anda,
o predicado é o talento!
Quando poisas o lápis,
o murmúrio é de incentivo: não vale parar!
 É quando te oiço, natureza,
que avanço e me deixo empurrar,
não parando...

domingo, 29 de junho de 2014

adMYRAveis linhas

tela de MYRA LANDAU - www.myra-parole.blogspot.com

Mostrem-me o voo dos inocentes
Aquele que levita entre o sorriso e a felicidade!
Apresentem-me as cores da gargalhada
Aquelas que animam as horas e nos pintam os dias!
Exibam-me as linhas da disposição
Aquelas que oscilam entre a serenidade e a exaustão!
Posso ver o voo,
 as cores e as linhas da criatividade,
onde a agilidade do teu ser nos habita!
Posso sentir o teu cansaço,
mas não te vejo desistir!
;-)



sábado, 28 de junho de 2014

Traçado de ti

Quadro de Myra Landau - www.myra-parole.blogspot.com

Pintei o teu corpo numa tela,
fiz o traço inspirado em cada linha do teu ser!
Fácil de traçar, motivador para copiar,
personalizado o bastante para de ti poder falar!
Pintei-te de cores sóbrias, firmes,
com uma linha marcante de ti,
como se fosses o único traço capaz de elevar todas as outras cores.
Desenhos traçados de ti!



sexta-feira, 27 de junho de 2014

Rostos em conversa

Quadro de MYRA LANDAU  - www.myra-parole.blogspot.com

Dizes-me tudo,
falas tanto!
Segredas-me bem alto a tradução do amor,
pelo olhar!
Dizes ao mundo o quanto te sou importante,
pelo sorriso!
Discursas sem de mim falar,
abraçando-me no teu mundo,
no nosso universo...
Dizes-me tudo!

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Lendo...

foto by Luísa

Quando o tempo embrulha as palavras
faz da chuva laços de textos caídos,
enaltecendo de brilho o dia
deixando escritas as redações por nós lidas!
Lendo...

terça-feira, 24 de junho de 2014

foto da net

domingo, 22 de junho de 2014

Silêncios audíveis

Fala baixinho
ouve-me devagarinho e
lê-me nos silêncios...
Percebeste o que tenho para dizer?
Toda uma redação de vida por escrever,
um sentimento de mim acabado de viver
um grito de liberdade por sair.
Fala baixinho,
ouve-me devagarinho e
continua a ler-me nos silêncios...
...como só tu sabes fazer!
Shiuuuuu!

sábado, 21 de junho de 2014

Memória de ti

foto by Luísa- Heart hand made by Liliana Isabel Costa
Gosto de reler todas as mensagens apagadas
e sorrir por cada letra passada,
juntando a felicidade de ti à saudade!
Assim vivo, dia a dia, enamorada!
Fazes-me bem...

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Devaneios de insolação

Sob o sol deixei o sonho
bronzeado de vontades queimadas!
Não voltarei àquela praia,
para não mais escaldar a ilusão e o momento!
Desidratei a quimera,
sequei o olhar...
...morri na captura do sol!

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Momento de leitura...

Sempre que viro a página...
Sempre que escondo os olhos...
Sempre que me sento para ler...
...deixo toda a minha vida parada,
num puro momento de lazer!
Estou por aí...
...num pedaço de tempo roubado,
dedicado a uma fuga de enamoramento
pelo livro da reflexão ao relento!
Estou por aí...
...a tentar ler!


quarta-feira, 18 de junho de 2014

O afeto

O afeto tem cor e pinta-se de azul!
Vê-se na cor de céu, do mar, 
do lírio encantado pronto a apanhar!
Veste-se de seda, delicado e relaxante,
move-se por entre os seres, 
com rasto de estrela cadente!
O afeto tem cheiro!
Sente-se o seu aroma nos dias,
no olhar de quem passa, 
no sorriso da criança e
no passo acanhado do avô 
que lhe aplaude a dança!
O afeto tem nome...
...batizado por mim e por ti! 



terça-feira, 17 de junho de 2014

Baloiço de son(h)o

Balancei num raio de sol,
subi ao cume do sonho e adormeci...
Em quantas vagas de calor embalarei?
Em tantas quantas o sol me aquecer!
Por hoje, superei!
Amanhã, vamos ver...
Acordarei do son(h)o e sorrirei
 num novo embalar do dia,
num novo raio de sol que encontrarei.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Ditado da natureza

Olhei-te, natureza, e vi o texto por escrever!
Soubeste ditar os parágrafos  sem impor pontuação
fazendo dissertações da lua...
Balbuciaste o nome do sol, 
num romance inocente, aplaudido pelas estrelas!
Quantas mais histórias tens para contar?
-Daquelas que nos deixam sem carvão no lápis
pela pressa de todo o enredo apanhar...
Dita devagarinho, 
eu mal sei escrever!
Diz-me cada palavra baixinho,
para no ditado nada perder...




domingo, 15 de junho de 2014

Não escrevo mais...

Não escrevo mais sobre nós!
Cansei de falar de olhares, de entendimentos,
de palavras de doçura e mel!
Afinal, escrevo do que sei falar
o melhor a fazer é calar!
Não escrevo mais sobre mim!
Dos efeitos da vida, dos olhares sobre a natureza, 
das consequências do calor e do frio,
da estrutura de afeto que me mantém de pé todos os dias!
Afinal, escrever é saber dizer o que vai para além de mim, de ti, de tudo...
...é criar a ilusão de que tudo o que vivi,
aqui não escrevi!




sábado, 14 de junho de 2014

O calor desfaz o gelo da oratória

O calor desfaz o gelo da oratória,
liquidifica a dureza das palavras,
mesmo quando de pedras precisas para falar!
Afinal, para quê aquecer o som,
se no tom mora apenas a ilusão da razão?
Todo o tempo do mundo é lição,
um sinal de aprendizagem da vã passagem por aqui...
Vale a pena sentir as batidas da emoção,
rendidos que ficamos ao tom do coração.
O calor desfaz e gelo da oratória... 




quinta-feira, 12 de junho de 2014

Retratos

Traças uma linha suave
num qualquer papel de arroz,
riscas com os olhos os traços da minha tez
e deixas-me bela!
Desenhas-me com palavras de aroma infinito,
num toque inconfundível de amêndoa e mel!
Voltas a escrever-me bonita,
a falar das minhas mãos e do meu olhar...
...num retrato de menina-mulher que existe!
Retomaremos o quadro, sempre que te apetecer pintar!

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Liga-te ao tempo

foto by Luísa - Queimadela - Fafe

Liga-te ao tempo!
Deixa de lamentar as nuvens que passaram,
olha-as em despedida, pois por entre elas
furam raios de sol!
Sente-lhes o calor e inflama-te para receberes o dia!
Tal mimosa que amarela se aperalta para o monte,
pinta-te de azul espelhando o céu em ti!
Vai, anda!
Abraça o dia e começa novo caminhar...



terça-feira, 10 de junho de 2014

Apagão

foto by Luísa - apagão 31 de maio

Vê a luz que se apaga!
Lê os versos escritos que deixarão de se ler
nas folhas impressas da (des)ilusão!
Hoje, enquanto o sol brilhou,
nem a luz consegui ver!
Somo perdas por prazer...

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Olhares 1

foto by Luísa - Vila do Conde - Centro da Memória

Sobre o filão de água que não corre
apressam-se as nuvens que decoram a paisagem!
Na almofada do chão que pisam,
pestanejam o olhar ao céu azul!
Comungas das cores?
Dos odores e sentimentos de nada
ao tudo que se lhes toca?
Então, aprecia em silêncio...
...não me interrompas o olhar!

domingo, 8 de junho de 2014

Nós e a natureza..

foto de Luísa

Vamos por aí,
pelo caminho desenhado de rio!
Podemos ir pelo lado nascente,
pelo sentindo do sol que nos aquece do frio
...e faz corar!
Anda, vamos por aí,
pelas águas enrugadas da vida,
pelo brilho verdejante que refresca,
num momento de silêncio saudoso...
...entre nós e a natureza!





sábado, 7 de junho de 2014

A calma aqui tão perto...

foto by Luísa - Barragem de Queimadela

Quando preciso de ti, calma,
viajo para dentro de mim e
é quando te vejo serena
e imito a tua postura!
Quando preciso de ti, calma,
ando descalça à beira d´água,
sinto a terra nos pés e mergulho a ansiedade...afogando-a!
Quando preciso de ti, calma, procuro-te,
encontrando-me!

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Espera

foto da net

A espera aguça a vontade de futuro,
abre a esperança em voos de sonho,
apura a curiosidade do que ainda não veio!
Fiz um pacto com o amanhã...
...num momento presente do 
passado!

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Gira a pedra que gira...na casa do Paço

foto de Xosé Figueroa Lorenzana - Casa de Pazo de Sabadelle

Fui à casa do Paço matar saudades da ruralidade
Quedei-me sem dar mais um passo ao ver a sua originalidade!
Tem animais sem conta,  terraços e alpendres,
vi lá um pouco de tudo e no nada sonhei com duendes!
Imagina que vi um lagar, com pedra, mó e moinho,
 puxado pela força de um burro
triturava olivas e saía um azeite fininho!
Na bacia de retenção juntaram-se oregãos da leira de baixo,
lançaram-se alhos moídos,
coseu-se o pão e ficou-se ao relento a contar os enchidos!
Na casa do Paço, o passo do sonho à realidade...
...é um momento único de ruralidade!

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Orquestra natural

foto by Candida Gonçalves - 
Ouves o piano?
Os violinos da orquestra natural?
Prometo que se fechares os olhos ouves melhor!
A melodia pinta-se de barroco em profundos retoques do sol!
Hoje a música soa a "Stravaganza", 
com as 4 estações do ano num só dia...
...num toque-flauta pelas fitas que se banham,
...num acorde-violoncelo que na margem se perfila,
...num conjunto-clarinetes que afinam a cor do teu olhar!
Conseguiste ouvir?Tens que voltar!


domingo, 1 de junho de 2014

Sopros de sol

foto by Luísa


Poisa quente em minhas mãos
o sol que chega atrasado!
Fica-se suave, admirável,
de raios uniformes e 
calor acolhedor...
                          ...formidável!
Na manhã que se adivinhava 
                 fria
soprou um vento agitado! 
Vinha com pressa, algo nervoso,
parecia algo incomodado!
Quando parei no jardim
e pude sentir a relva
o sol poisou em minhas mãos
dizendo baixinho:
                          - "Prepara-te!Vim aquecer a terra!"