quinta-feira, 30 de junho de 2016

contrastes

foto da net

O caminho,
a luz que vindo por ali
brilhou!
Ofuscou o que não estava definido
aclarando as interrogações escondidas!
O caminho da luz
a luz que se fez ao caminho!
Espera!
Mostra mais desse caminho...
...não escureças a esperança!



quarta-feira, 22 de junho de 2016

No teu olhar



foto da net

É no teu olhar que afogo a visão do ser!
Sei-te de cor,
lembrando eternamente,
tudo o que temos cá dentro.
tudo o que de ti tenho em mim...
...reconhecendo-me em ti!
É no teu olhar que me abrigo,
me encolho e refugio!
É no teu olhar que me encontro,
para sem forças,
tentar agarrar o tempo
e não o deixar passar,
ficando!

terça-feira, 21 de junho de 2016

D´Ouro

foto de JOÃO MENÉRES - www.grifoplanante.blogspot.pt

Talvez seja um sonho,
turvo,
cinzento,
lento ao passar!
Talvez seja um acordar real,
claro,
evidente
convite para passear!
Talvez seja a dúvida
que o alinha
na incerteza da força ao passar...
Talvez seja d´Ouro
o sinal de manhãs cinza-sublime
para serenamente te ver caminhar!





segunda-feira, 20 de junho de 2016

Entre a lua e o sol

foto by Luísa

Temos encontro marcado,
depois de acordar o dia
e antes do pequeno almoço,
no mesmo sitio
à hora do costume!
Entre o sol nascer e a lua se deitar
há um olhar que desperta e espreita,
ali,
descalça, só para vos ver!
Curiosa pela subida do sol,
sonolenta pelo aparecimento da lua,
ali,
no sitio do costume,
descalça só para vos ver!
Desperta com o sol
adormece contigo...
sonha um dia ser
...tua...lua!

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Não digo...

foto da net

Tenho as palavras secas
num ensaio do que está por dizer.
Cruzo o pensamento na memória.
buscando o que é bom e faz bem!
Tantas palavras soltas,
tontas,
cheias de tudo...
...e eu vazia em todas!
Secaram na nudez do sentimento,
no banho frio de ideias,
na límpida essência
da infantilidade do ser.
Secas palavras,
palavras secas!

segunda-feira, 13 de junho de 2016

lá fora

foto by Luísa

Chove lá fora
e o vento não sopra, por agora!
Ouvem-se os pássaros agitados,
zangados,
tolhidos pelo frio regressado!
Chove lá fora
e o sol cobriu-se de nuvens!
Encolhido,
encoberto,
tolhido de mimo,
escondido, nas saias da mãe!
Chove lá fora
e o piso sente-se molhado...
...chorado por o sol demorar!
Chove lá fora...

domingo, 12 de junho de 2016

Tão perto!

foto da net

Eis o teu passo,
marcado, seguro-sereno de andar.
pisando o caminho que traças,
mesmo andando devagar!
Alicerces do ser
nas mais belas marcas do pisar,
entre o saber olhar, ver
e sentir o valor de amar!
Não pisas...suportas-te na base do ser!

quinta-feira, 9 de junho de 2016

O tom do nome

foto da net

Há tons de voz que se materializam em comandos.

Uns, embalam-nos na memória do mimo
Outros, adormecem-nos no mimo da memória!
"Maria Luísa!"
traduzia-se em repreensão!
"Lú",
interpretava toda a tua atenção!
Entre o som austero
e o de comando doce,
sempre estiveste tu,
segura em todos os teus tons,
certa de todos os reflexos
de ti em mim, em nós!
Hoje sou eu,
sem nome...presa no teu olhar,
com saudades de ser quem sou:
"Maria Luísa!" no teu tom, outra vez!




terça-feira, 7 de junho de 2016

Para de escrever

foto de Pepe
Para de escrever que me enervas
Deita as letras e sossega
Viras e voltas
voltas e viras...
Para,
ou escreve devagar!
Deixa o olhar fechar as pálpebras
e não leias a vida para além de ti!
Para!
Para e vai viver.
Um dia, quando o tempo tiver passado,
vais depressa perceber
que tudo o que escreveste
de nada te vai valer!
Assim...
...num colo de memória a reter!




segunda-feira, 6 de junho de 2016

O teu sonho tem cheiro...

foto da net

Cheira a flores o teu sonho,
fresco, suave, presente, sentido devagarinho!
Cheira a sonho o teu aroma,
guardado na mala dos afetos,
na forma dos mimos dados,
na dádiva do nada trocado por tudo!
Há mil formas de amor por descobrir
misturadas na fragrância do ser
perdidos na imensidão da tua essência!
Cheira a flores o teu sonho...


  

quinta-feira, 2 de junho de 2016

Crescemos sem querer

foto da net

Esquece-me
Esquece-me entre o poisar da lua 
e a alvorada solar!
Deixa-me adormecer entretanto
e sonhar essas horas do fim!
A vida despede-se devagarinho,
passa de mansinho
entre lições rasteiradas
e aulas carregadas de afeto firme!
Vive-se a crescer.
Crescemos sem querer!