quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

O som do sabor das cores da lareira

foto da net


É o som das tuas cores
O calor do teu queimar
Das achas que estalam saltando
Na tua lareira a esquentar!
Saltam felizes, agasalham o frio
acolhem quem vem e
Ouvem as tertulias de familia, num desvario!
Eram pinhas que já são pó,
apanhadas rente ao rio, num final de verão,
num dia que preparava Dezembro adivinhando o frio da estação!
E, em cada som das tuas cores, hoje reflectes acção
Aquela que me deu alento e fez sorrir, no dia em que parei,
por prevenção!

5 comentários:

  1. Claro...
    Também tenho que fotografar logo a minha lareira !
    Mas, dizeres como os teus não serei capaz de escrever.

    As pinhas que tenho já são do Verão de 2009 !
    Sou muito poupadinho, sabes ?
    E a lenha, é proveniente de plátanos por onde a vinha de enforcado lá ia vingando ou, então, de umas podas que aqui , de vez em quando, é necessário fazer...ou, então, vindas de uma obra de construção civil. E estas ardem bem e têm grande poder calorífero.

    Gostei muito, LUÍSA.

    Um beijo com um raio de sol que agora deu.

    ResponderEliminar
  2. Lindo,Luisa e que boa uma lareira!beijos,chica

    ResponderEliminar
  3. adoro as lareiras! mas aqui nao tem, mas tenho tuas palavras, e gosto muito, muito, beijos imensos

    ResponderEliminar
  4. Onda arde uma lareira, ninguém liga à TV.

    Passei para comentar, e adorei, não só o aspecto gráfico, como a doçura da Autora.
    Muito obrigado, Luísa.

    ResponderEliminar
  5. FOGO
    Olhando a lareira
    os troncos deixam-se arder
    e ajudam na função maravilha
    para almas aquecer!

    Ala em força cruzada
    não chora o seu queixume
    e as cinzas são destino macio
    brilhando em fogo vivo!

    Há chama que arde e não se vê...

    No post de 27.12.09 podes ver a imagem que transmite este calor :)

    Beijinho

    ResponderEliminar

Olhares de perto