Mensagens

A mostrar mensagens de Novembro, 2011

FADO, guitarras e cavaquinhos, patrimonio de familia!!!

Imagem
na foto da net
(DOMINGOS MANUEL MACHADO - artesão de cordofones - as mãos que falam FADO nos instrumentos que cria)

Num sábado em que o fado era amparar,
lembrei de sobre ele dissertar
de forma simples, é verdade,
mas com a alma de quem pode errar:

FADO é alma!
É voz das gentes em acordes únicos!
É saudade!
É alegria!
É nostalgia de tristeza pelo adeus...
Fado é PORTUGAL!


O local da dissertação?
http://expressodalinha.blogspot.com

Parabéns, CHICA!

Imagem
foto da net

http://chicaescreveporai.blogspot.com/

A Chica é realmente uma pessoa FANTÁSTICAAAAAAAAAAAAAAAAA!
Amiga virtual que nos dá todos os dias uma palavra amiga!
Pessoa bem formada e que nos dá colo, um afago querido, um sorriso de afecto!
Chica é sensibilidade!
Chica é maturidade!
Chica é AMIZADE!

Um beijinho enorme à Chica de PARABÉNS!

Ciclo de vida...

Imagem
foto da net

Quando as folhas se cansam e descem das árvores
Mudam de cor e caminham sem força...
Despedem-se dos ramos que as alimentaram,
Apresentando-se num novo caminho, sem protecção!
São tantas, tão variadas, citam-se rendidas a uma nova vida!
Têm olhar desanimado ao ver o humus irão ser!
De fonte de energia e vida passam a alimento do solo, sem querer!
Começa uma nova fase...o inicio do fim,
do fim que é reprincípio!

Moinho de vento...Uma brisa do http://grifoplanante.blogspot.com

Imagem
"UMA MANEIRA DE...

...DE GUARDAR O VENTO!"
in http://grifoplanante.blogspot.com

Uma maneira de...
...de viajar, voar, sonhar! Ir de encontro ao belo natural de uma ilha que me espera.E outra...e mais outra..
As janelas deste moinho guardam as histórias que as nuvens trazem e contam ao sabor do vento que sopra!
E as pedrinhas que lhe dão forma, riem simpaticamente do seu passar...já viram tanto!!!
Já viram muito, já sentiram vendavais, sopros leves e fenomenais!
Vummmmmmmmmmmmm!
Passa o vento em compasso por entre as hélices...

Fruto de Outono

Imagem
foto de Luísa

Vi-te escarlate sobressair do verde musgo,
Olhavas a rua como quem pede saída!
Adivinhaste sol frio, numa manhã de Outono,
e apresentaste-te a sorrir!
Quão belo te mostras! Quão natureza picada de mel!
Prazer em conhecer, figo maduro, pirilampo de cor!
Voltarei a descer a calçada, só para de novo o olho te pôr!