segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Olhares

Foto de Carlos Kiroga - Cabril - pantaleão - Celorico de Basto


É assim,
Um cume de monte selvagem,
coberto de musgos, arbustos e demais espécies perdidas!
Vem de encontro ao rio,
que desce calmo até ao precipício e cai!
Cai livre, mergulhado nas águas limpídas
que aos trambolhões se aligeiram rumo ao mar...
Ouve-se a musicalidade da escarpada,
tal banda sonora na experiência instrumental!
É assim,
um pouco de natureza e muito de mim!

5 comentários:

  1. linda fotografia! e o texto sempre perfeito para a imagem...como sempre !!!!
    beijinhos
    Angelica

    ResponderEliminar
  2. ...Tal qual a pequena folha que sonhou conhecer um novo mundo....Sonhadora apaixonada...louca talvez, ou simplesmente menina...e por fim se desfez no frenético bater ou enraivecida fúria das ondas...

    ResponderEliminar
  3. Olhai a Senhora da Graça lá no alto !
    Do Cabril, já lhe conheço a nascente.
    Qualquer dia, as suas águas ficam retidas no Fridão...
    Serão alagadas terras férteis e lá se vai um pouco mais da nossa agricultura de subsistência !
    O povo, o bom povo, ficará ainda mais pobre.
    Só a sua tristeza os acompanhará até ao final da sua existência...


    Gostei muito das tuas palavras, Luísa !
    ( Queres saber que não sei onde fica essa pantaleão ? ).

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  4. so tenho que dizer como sempre - nao sou boa para comentarios...- que amo como voce escreve! e muitossssssssssssss beijosssssssssss

    ResponderEliminar
  5. Cai livre, mergulhado nas águas limpídas
    Ouve-se a musicalidade da escarpada
    coberto de musgos
    Vem de encontro ao rio,
    Um cume de monte selvagem,

    ...bonito, moi bonito poema...

    ResponderEliminar

Olhares de perto