sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Dedicação

foto de João Menéres

Alvorece o dia fiando linha
que alinhada no tear convida a serenar!
Vê-se ao espelho e reproduz as cores em flor,
numa ordem aprumada de quem sabe semear!
Do fio nasce obra com dedicação em cada laçada,
numa atenção atraída pela sucessão de fios
que quando a noite se apresenta se vestem de tulipas!
Hoje a arte é das mãos e da vontade de criar...

9 comentários:

  1. ..."que quando a noite se apresenta se vestem de tulipas!"
    ADOREI!!!!!
    beijosssssssssssssssssssssss

    ResponderEliminar
  2. Mais dois dias e apanhava-te a meio caminho !

    Como no dia 6 havia dito, és uma formiga.
    Não és de forma alguma uma cigarra !

    Para além das mãos, trabalhas laboriosamente com a cabeça e o teu coração está sempre atento a tudo quanto te rodeia.

    Fico muito contente por teres colocado esta imagem pelo seu múltiplo significado.

    Um beijo muito amigo.

    ResponderEliminar
  3. Querida amiga, sei que sentiste vontade de fazer uma manta " Felicia com duas flores bordadas" Linda!!! Fixe.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  4. Viajei nos teus versos. Lembrei-me de minha vó.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  5. "ordem aprumada de quem sabe semear"
    Belíssimo poema, uma homenagem merecida, tal a dedicação de quem se atreve, ainda hoje, a fiar e a tecer...
    Luísa, querida amiga, tem um bom domingo e uma boa semana.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  6. Belo. Como sempre. Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Como a vida. Um fio do tear!

    ResponderEliminar
  8. Quando olho para ti, lembro tuas mãos como linhos e flores perfumadas, és linda por dentro e por fora és a propria generosidade
    um beijo no teu coração

    ResponderEliminar
  9. tempos que gostaria nunca se perderem :)

    ResponderEliminar

Olhares de perto