quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Troncos urbanos


foto by Luísa

Despiram-se de tudo:
do barulho que as enchia
do verde que as cobria
das pessoas que as calcavam
dos olhares que as não viam!
Vestem-se apenas de si,
singelas,
correndo paradas no tempo
não dando conta de quase nada.
Troncos urbanos, mundanos...
...vadios, presos, livres no nada,
agarrados!

4 comentários:

  1. Belíssimo poema, Luísa !

    E destaco o final que é muito forte :

    " Troncos urbanos, mundanos...
    ...vadios, presos, livres no nada,
    agarrados! "

    Um beijo com os renovados parabéns pela tua inspiração.

    ResponderEliminar
  2. Vestem-se apenas de si...
    ..correndo paradas no tempo..
    ...vadios, presos, livres no nada..
    As palabras precisas ou precicion das palabras enche o ar que toca Luisa Vilaça

    ResponderEliminar
  3. Muito bem escrito, como só a Luisa sabe...
    Beijinhos DB

    ResponderEliminar
  4. Despidas de tudo (as árvores), mas prontas para tudo dar de novo, indiferentes ao olhar dos homens...
    Beijinho.

    ResponderEliminar

Olhares de perto