sexta-feira, 29 de maio de 2015

Epilogo

Arde, em fogo lento, apressado de queimar,
em conto, narrativa, prosaico saber de arder...
Arde!
Pinta a tela ao escrever de carvão que,
 de sede para apagar,
surra a parede ao passar!
Deixa o cheiro a lenha ardida
marca o livro por onde passas
e deixa por paginar!
Epilogo de sexta...
...às 11.




2 comentários:

  1. Deixa o cheiro a leña ardida...
    a poeta Luisa Vilaça...hoxe ..ahora..para sempre..ĺévanos o seu mar de colores..

    ResponderEliminar
  2. O jogo do contraste lento-apressado do fogo que arde de verdade.

    ResponderEliminar

Olhares de perto