sábado, 2 de setembro de 2017

Sons de despedida

Foto by Luísa

Brilho fresco de entardecer
Sopro certo de desalinho
Um abraço no olhar da natureza que se exibe em tom de paz!
Na luz refletida
Um sonho vivido
Só por contigo estar aqui
Onde o céu toca a alma
E o rio afoga a dor.
Voltaremos amanhã...

...para um beijo quente
 entre ondas e maresia!

5 comentários:

  1. No sopro da vida desalinhada, por entre a dor do momento, só um raio de luz, intenso e especial como tu, consegue superar a turbilhão que escurece os teus dias. Mas, eu sei, tenho a certeza disso, que tudo passará e do recanto mais escondido, tu sairás mais forte e brilhante.
    Beijinhos doce amiga.

    ResponderEliminar
  2. Lindíssimo o teu poema, Luísa !
    Muitos parabéns !!!

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  3. Belo poema, Luísa!
    Parabéns! A poesia
    É alimento e eu diria
    É vida que eterniza

    O momento como a brisa
    Que passa sem ventania
    Mas refresca e alivia
    Conforme a alma precisa.

    O teu poema é amor,
    É beleza, é esplendor
    É paz que à alma induz

    Ser ela aquilo que for,
    Mas verdadeira, na dor
    Ou alegre, ser luz.

    Grande abraço, Luiza! Gostei imensamente de teus poemas. Voltarei sempre, pois estou a te seguir. Tudo de bom. Minha gratidão pela partilha! Laerte.

    ResponderEliminar
  4. Como sempre um poema lindo e cheio de sencibilidade.
    Beihinho. DB

    ResponderEliminar

Olhares de perto