sábado, 16 de outubro de 2010

Tempo...

foto da net

Nada há que o tempo não cure,Que as ideias não mature,E o semblante transfigure!
Se medirmos os efeitos do tempo no tempo que perdura,
saberemos os seus defeitos , o mal que causa e dura...
Tempo não passa de tempo,
de circuitos de ânimo e de desalento!
De olhares sorridentes ao que passa,
De sentimentos asfixiantes ao momento!
Dele não voltamos a abraçar o instante...
...mas caminhamos com ele, sempre adiante!

12 comentários:

  1. Deixa que os desânimos se esfumem...
    São consequência de muita estúpida pequenez de gente que não merece a nossa atenção!
    Não passam de gentinha que polui e destrói.

    Mas, ninguém te esvazia das qualidades que te são natas. Disso, tenho também a certeza!

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Lindo!O tempo sempre dá o que pensar...Nos inspira também...beijos,chica

    ResponderEliminar
  3. eu deveria copiar o comentario do Joao!!!! dizem que o tempo cura tudo...voce é alguem muito especial!!! e sabe, teu poema è muito bom, e mais que bom é emocionante...lindo, e animo, eu tbem me trato de dar animo a mim, beijos minha queridissima Luisa!!!

    ResponderEliminar
  4. e o tempo que julgamos ter e nunca temos!!!
    sempre belos poemas, bjs :)

    ResponderEliminar
  5. Belíssimo este seu poema Luísa e tanto me diz neste momento, bem como o comentário do João.

    Foi dos textos mais bonitos que lhe li, profundo, bem seu, de uma sensibilidade e de uma alma grande.

    Beijos
    Branca

    ResponderEliminar
  6. João,

    a verdade é que a mágoa vai destruindo pequenos cristais de sorriso.
    Beijinho terno e muito obrigada pelas sábias palavras.

    ResponderEliminar
  7. Chica,
    o tempo é um aliado.Não anda ao ritmo que desejamos mas, até por isso, é sábio da forma que se apresenta!
    Beijinho terno

    ResponderEliminar
  8. Myra,
    este ãnimo que vai aparecendo com o tempo, vem também pelas suas doces e amigas palavas.Obrigada!
    Beijinho terno!

    ResponderEliminar
  9. Hellag,
    agradeço ao tempo o espaço alargado com que ele se me apresenta!
    É amigo, este tempo é conselheiro!
    Beijinho terno

    ResponderEliminar
  10. Brancamar,
    se coincidiu olharmos de perto o tempo da mesma forma,então convido-a a aceitar do tempo as amarguras que ele traz sem nunca perder o sorriso.
    Beijinho terno!

    ResponderEliminar
  11. Acho que é TEMPO de nos deixares...
    UM OLHAR DE PERTO


    Nessa esperança, deixo um beijo só para ti.

    ResponderEliminar

Olhares de perto