terça-feira, 19 de junho de 2012

Parou...

foto da net


Se chegares, bate de mansinho,
desliga o interruptor e fala baixinho!
Se vieres, anda em silêncio,
traz o teu sorriso no rosto
e senta-te sem me comentares!
Ouve-me pelo olhar,
e lerás em mim o que me inquieta e deixa prostrada!
Lido mal com a injustiça, tu sabes!
E na ressaca dos dias idos,
compenso-me com refugios em ti,
sem sentir o mundo que gira e passa,
numa azáfama louca que me não reconhece e esquece.
STOP!

9 comentários:

  1. Eu sempre bato de mansinho, Luísa.

    Que se passou agora ?

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  2. Não se passou nada...o problema é que não se passou nada!
    Tudo se passa à minha volta!!!

    Acho sempre que DEUS me reserva algo de muito bom. Apenas terei que ter paciência para esperar...

    ResponderEliminar
  3. Dá graças a Deus, por teres uma Família maravilhosa !
    O resto são meros pormenores.

    Um beijo grande.

    ResponderEliminar
  4. Luísa, boa noite!
    São muitas as vezes, que venho, entro e sento-me, umas, deixo um carinho, outras, saio em silêncio, mas sempre com a promessa de voltar.

    Espero e desejo que tudo esteja bem consigo e com os seus.

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  5. Quem tem assim um refúgio para não sentir o mundo numa azáfama louca...tem tudo.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  6. tem horas que a tua escrita veste como uma luva.
    ora se veste!
    fica bem Luísa.
    um beijo.

    ResponderEliminar
  7. espero que esta tudo bem com voce, as tuas palavras sao realmente fantasticas, gostaria de saber escrever como voce!
    te quero tanto bem!

    ResponderEliminar

Olhares de perto