domingo, 26 de julho de 2009

Solas de areia em pés descalços

Foto da net


Vem o calor e o prazer de andar descalça
Percorrer todo o areal e senti-lo, pisá-lo!
Ouvir o estremecer dos finos grão de areia,
e fazê-los perceber que de areia são meus pés!
Vivo com o areal na sua planta!
Devo-o ao sol e ao calor que ele oferece!
Adivinhando-se o inverno, sacudo a areia,
estico os dedos e despeço-me deste sentir!
Nessa altura, poderei calçar sapatos de tiras
e, entre a sola do pé e a gáspea da sandália,
irei celebrar o pisar da praia, para a ela voltar e me despedir!
Nessa altura, pedirei ao oceano que lave todos os grãos de areia,
até nova estação de sol e calor, de muitas novas sensações a descobrir!

18 comentários:

  1. Este ano ainda não tive esse prazer, mas ao olhar a tua paisagem consigo sentir esses pequenos grãos.
    Como sempre levas-nos a todo o lado sem sair do lugar.
    Beijo,
    Judite

    ResponderEliminar
  2. E como essa sensação nos dá prazer, e é como dizes no inverno ainda que possamos ir á praia, já não apetece descalçar as botas
    beijos

    ResponderEliminar
  3. Pô Luísa isto é tortura!
    O que te fiz para me judiares assim...

    Por aqui terei ainda um mês de frio.

    Bom verão pra ti, aproveeeeeita...

    Beijos e abrrrrrrrrrrrrrrraços daqui!

    ResponderEliminar
  4. Obrigada pela sua visita Luísa :)
    poemas cheios de beleza...
    mar e areia do mar...ainda hoje lá estive abraçando ambos :)

    beijinho para si

    ResponderEliminar
  5. Amo andar descalça na areia, é como sentir a energia de tudo na praia.
    beijo, boa semana

    ResponderEliminar
  6. Depois de ler o belo texto lhe desejo uma semana linda e ensolarada.
    Abçs,
    Ana

    ResponderEliminar
  7. A qualquer hora em que chegares,
    sentarás comigo à minha mesa.
    A qualquer hora em que bateres a minha porta,
    o meu coração também se abrirá.
    A qualquer hora em que chamares,
    eu me apressarei.
    A qualquer hora em que vieres,
    será o melhor tempo de te receber.
    A qualquer hora em que te decidires,
    estarei pronto para te seguir.
    A qualquer hora em que quiseres beber,
    eu irei a fonte.
    A qualquer hora em que te alegrares,
    eu bendirei ao Senhor.
    A qualquer hora em que sorrires,
    será mais uma graça que o senhor me concede.
    A qualquer hora em que quiseres partir;
    eu irei à frente nos caminhos.
    A qualquer hora em que caíres,
    eu estenderei os braços.
    A qualquer hora, em que te cansares,
    eu levarei a cruz.
    A qualquer hora em que te sentires triste,
    eu permanecerei contigo,
    A qualquer hora em que te lembrares de mim,
    eu acharei a vida mais bela.
    A qualquer hora em que partires,
    ficarás com a lembrança de uma flor.
    A qualquer hora em que voltares,
    renovarás todas minhas alegrias.
    A qualquer hora que quiseres uma rosa,
    eu te darei toda roseira.
    Eu te digo tudo isso, porque não posso imaginar
    uma amizade que não seja toda,
    de todos os instantes e para todo bem.

    by: Cid Moreira

    Desejo uma linda semana com muito amor e carinho.
    Abraços
    Eduardo

    ResponderEliminar
  8. Andar descalça é bom!!!
    Também gosto, e então na areia é do melhor!

    Abraço

    ResponderEliminar
  9. lindissima foto!!!!! e todo que a acompanha!e eu que nao posso nem tomar sol....
    diabo de pacemaker...
    um beijo grande grande

    ResponderEliminar
  10. Amiga!!! Que delícia, poder sentir a natureza, né? A liberdade de estar à vontade, de pisar na areia e armazenar a energia que nos é ofertada, é simplesmente maravilhoso!
    Saudade daqui!
    Beijo grande!
    Elida

    ResponderEliminar
  11. Delícia na fofura areia do mar de Ipanema andar,em inverno característico,de sol repleto e intenso,ao te ler vontade me deu,de lá ir,e quase levitando,o mar namorando!
    Escriba és,doce e amiga,me honraria mui,seguidores em reciprocidade sermos!
    Beijo mãos suas,poeta Luísa,de mares outros,mui longe,mas..de cardíacos nossos perto!

    Bzu mãos suas!
    Viva Vida!

    ResponderEliminar
  12. eu tenho andado por lá desclaça todos os fins de semana, sempre a fugir ao calor do berço, e que bem que me sabe

    ResponderEliminar
  13. ficará sempre um grão de areia na minha pele. não porque o prenda... apenas porque a reconheceu de tempos idos. numa vida em que fui ser do mar e todos os dias nos saudávamos. eu subia na onda... ele, descalço, misturava-se com as conchas. recordo os seus corpos cobertos de luzes, estrelas de pó. recordo a água salgada, a que me levava, a baptizar saliências de calcário branco.
    ficará sempre um grão de areia na minha pele. não porque o prenda!


    um beijo, luísa

    ResponderEliminar
  14. Depois de ler, só pensei:

    Se ainda não andou descalço...

    pisando a relva do parque,
    levantando a areia da praia,
    chutando as pedrinhas do ribeiro,
    equilibrado no tronco da árvore...

    talvez ainda não saiba bem o que é bom na vida.

    Coisas simples, afinal.

    Fica bem...

    ResponderEliminar
  15. Querida amiga Luísa,
    O Sol, o calor a praia e toda a sensação de leveza e liberdade que caminhar na areia descalços nos proporciona. Tudo aqui neste teu belo escrito!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  16. ai,
    o mar, a praia e suas sensações...

    ResponderEliminar

Olhares de perto