quinta-feira, 12 de julho de 2012

Molhei a sandália ao pisar o mar

foto de João Menéres - www.grifoplanante.blogspot.com


Ousei pisar a água
sentir-lhe a cor...
Fechei os olhos ao ouvir as gaivotas num voo suave de verão!
Arrisquei ser uma delas, no toque calmo das ondas que se esticavam na praia...
E consegui!
Vagueei sem movimento neste momento certo de solidão acompanhada,
junto à cor do sol que aquecia a terra e lhe dava o lusco-fusco do entardecer!
Molhei as sandálias e saciei a sede do mar!
Olhei-o com convicção e bebi inspiração do singular entardecer...
Ousei pisar-te, mar!



8 comentários:

  1. beleza de palavras...e se eu pudesse tbem pisar o mat, que feliz estaria!!!
    beijos muitos beijos, minha querida poeta!!!

    ResponderEliminar
  2. Enquanto eu mal tocava na areia e, mesmo assim, as marcas ficavam em baixo relevo.
    Mas ia com sapatos de vela, claro.
    As gaivotas estavam prestes a voar para irem para o seu habitat da noite.
    Também elas gostam de sonhar, sabes ?
    ( Concordas que esta imagem ampliada tem outra presença, não concordas ? )

    Obrigado por a teres escolhido para outro dos teus belos poemas !


    Destaco o final :

    > Molhei as sandálias e saciei a sede do mar!
    Olhei-o com convicção e bebi inspiração do singular entardecer...
    Ousei pisar-te, mar! <

    Um beijo muito comovido.

    ResponderEliminar
  3. Tudo que eu queria era pisar o mar, um voo suave de verão... Lindo Luísa!
    E a imagem, combinação perfeita com o amigo João.
    Beijos aos dois!

    ResponderEliminar
  4. Obrigado, Li, pela parte que me toca.


    Beijão.

    ResponderEliminar
  5. Muito bem dito. Uma sensação de frescura e de desprendimento que abre nas palavras da imagem.

    ResponderEliminar
  6. Vai ver os resultados da votação dos participantes no FLINPO, querida Luísa !...

    Um beijo.

    ResponderEliminar

Olhares de perto