Adormeci na sombra da água

Rio Minho

Ouvia-se a flauta do vento
e, ao fundo,
uma certa voz de carinho,
daquelas que embalam e mimam baixinho!
Concertos de olhares e sorrisos,
de sopros interrompidos por brisas,
de sonhos navegados desde a nascente!
Assim,
adormecidos na sombra das águas,
fechados na luz do sentir,
seremos, um dia, navegadores do futuro,
seremos apenas rio...

Comentários

  1. Ou seremos apenas água que desaparece por entre as brechas do areal
    .
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde tudo bem? Sou brasileiro, carioca e procuro novos seguidores para o meu blog. Novos amigos também são bem vindos.

    https://viagenspelobrasilerio.blogspot.com/?m=1

    ResponderEliminar
  3. Um EXCELENTE poema, Luísa !
    Não me canso de ler a beleza contida em :
    FECHADOS NA LUZ DO SENTIR

    Muitos e muitos parabéns !
    👏

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  4. A D O R O - T E, como muito bem sabes!
    Beijinhos minhotos,
    Luísa

    ResponderEliminar

Publicar um comentário

Olhares de perto

Mensagens populares deste blogue

A luta do luto

Olho de sol...numa saia azul!

Solas de areia em pés descalços