domingo, 13 de dezembro de 2009

Tempo...frio tempo


Foto da net

Passo envergonhado rumo ao destino
Vai serena calcando o chão cristalino!
O frio acompanhou-a jardim fora!
Foram ambos rumo ao lar, procurando um lugar quente!
Há sempre à espreita o medo do inverno,
há vontade de fuga glacial do frio eminente!
Aí está ele!E por ele, ela vai passar caminhando...
Vai rumo ao destino como estátua de murano!
Tudo o que ele lhe trouxer ela vai sentir,
E, com gentileza, vai devolver e não desejar novo advir!
Frio que vens na tua hora, ela não se importa que vás embora!

11 comentários:

  1. Amiga Luísa,
    nem ela, nem eu, nem nós nos importamos que o frio se vá embora.

    BONITO!!!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  2. Que a hora seja menos longa...

    O teu poema é muito bom, LUÍSA!

    Um beijo Amigo.

    ResponderEliminar
  3. Eu imagino o frio aí, mas que lindo ficou este poema, aqui o frio só inspirou!
    beijo

    ResponderEliminar
  4. Pois virão outros ventos com a esperança de melhores fluidos, como tão fluente são os ventos em seu tempo de mudar de direção.

    Lindo, Luísa!

    Bjo.

    ResponderEliminar
  5. O frio inspira e aquece o coração...beijos,linda semana,chica

    ResponderEliminar
  6. gostei muito, muito deste teu poema!!!
    e tantos Obrigadas pelas tuas palavras!
    com muito carinho e um grande beijo,

    ResponderEliminar
  7. Olá Luísa,

    Está um frio de rachar
    que vem do Norte da Europa
    eu quer me agasalhar
    mas a roupa é sempre pouca

    um beijinho,josé

    ResponderEliminar
  8. Está mesmo frio, lá fora o termómetro marca 3 graus negativos. Recolhemo-nos à lareira para aquecer o corpo, E o frio da alma? Quem o conseguirá apagar?
    Um grande beijinho,
    Maria Emília

    ResponderEliminar
  9. Gracias por tus palabras y cariños.

    Te deseo que estas Navidades sean motivo de felicidad y alegría en compañía de aquellos que tu quieres.Disfrútalas y se feliz.
    Un abrazo de A.Dulac

    ResponderEliminar
  10. Pode crer Luísa... não me importava nada, também, que este frio se fora embora rsssssssssss

    Bonito poema e a imagem no seu conjunto!!!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  11. Aí lá fora o frio aperta!
    Mas não me posso queixar
    Pois dentro está quentinho
    E lá fora... Vai nevar! Vai nevar! Já sabes!
    Bjs.

    ResponderEliminar

Olhares de perto