segunda-feira, 16 de abril de 2012

A cor da calma...

foto de Luísa - Serra da Lameira - 24 de março


Ouvem-se a romper a calma dos montes que se adivinhavam verdes
Vêm com a semente da evolução
ou plantam-se com o homem, pela mão!
Trazem sinais do vento e no vento levam luminosidade...
Tentativa de metamorfose numa rotação de hélices que se levantam
e deixam em nós cair a sensação de que tudo passa...ao ritmo da luz! 
Um passeio na serra tem cor de calma e som de paciência,
tem sinais de modernidade sábia
e de toques de diferença!




7 comentários:

  1. Passear nessa serra é realmente sentir a mistura da modernidade com a força intemporal e telúrica quase transmontana e com as lendas trazidas pelo vento.
    Beijinhos! :)

    ResponderEliminar
  2. De todos os elementos o ar é o que mais me atrai. É invísível, mas tão presente; é forte, manso, furioso, perfumado, mal cheiroso, quente, delicado Tão necessário e precioso!
    Queria ser uma ave para nele planar...

    Essa foto me lembrou o caminho p/ as Caldas da Rainha.
    Deliciosas lembranças!
    Um beijo Luísa.

    ResponderEliminar
  3. Curiosa coincidência !...
    Verás a que eu escolhi para o !

    Um beijo luminoso.

    ResponderEliminar
  4. ..ao ritmo da luz...
    lindo!!!como sempre, beijossssssssssss

    ResponderEliminar
  5. Um poema luminoso com a cor da calma que lhe conheço!

    Beijinho,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  6. Descobriste os aero-geradores no meu post de hoje ?

    Um beijo.

    ResponderEliminar

Olhares de perto