domingo, 4 de outubro de 2015

Ando...andando!

Ando a ver sem olhar...
...aquela árvore que dança sem parar
e o vento que assobia ao passar!
Ando a sentir sem tocar...
...aquele corpo cansado de caminhar
e a voz calada perdida no olhar!
Ando ouvinte do silêncio...
...da voz repetida que não cansa de perguntar
e da mão meiga que fala ao abraçar!
Ando andando...
...caminhante no presente,
sem pressa de avançar!

3 comentários:

  1. Ver sem olhar, pode dar consequências...

    Consola-te com a mão meiga que fala ao abraçar, Luísa.
    Há muita gente que em momentos menos bons não tem essa mão...

    Um beijOOOOOO.

    ResponderEliminar
  2. Gostei. Gostei muito.
    E caminhar "no presente sem pressa de avançar", isso sim, é "agarrar" o tempo, é não deixar que o tempo nos passe em vão...
    Ai, e quantas vezes nos perdemos em nostalgias ou em amanhãs...

    ResponderEliminar

Olhares de perto