sábado, 2 de janeiro de 2016

(re)Começar

Recomeçar!
Conta de novo os números que se repetem,
inova na contagem para que não se rompam...
...começa.
Avança!
Lança no tempo o teu olhar,
olha o mundo de novo sem cansar...
...observa!
Cala-te!
Não digas o que pensas,
mas pensa em tudo que ouves,
(des)valorizando!
Vive!
(re)Vive!
Faz da vida uma festa...
...em cada novo dia!





3 comentários:

  1. Nem tudo se repete tal qual.
    Este é bissexto, Luísa.

    ResponderEliminar
  2. Na verdade não recomeçamos nada, porque nada se repete.
    O sol é o mesmo, a terra é a mesma, mas a rotação que permite um novo dia é, matematicamente, a seguinte após a anterior.
    Do mesmo modo, os pensamentos, as atitudes, novas perspetivas...
    Os números e as letras são os mesmos e são finitos, mas as combinações possíveis nunca as esgotaremos.
    Tudo se remoça. O seguinte tem sempre algo de diferente.
    É por acreditar nisto que espero sempre um amanhã melhor.
    E quem espera (e acredita) um amanhã melhor, vive. Beijinho.

    ResponderEliminar

Olhares de perto