quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Iluminação natural d´Outono


Deliciei o olhar ao ver o traje da natureza!
Hoje mostra acessórios reais, Expira a sua imensa beleza!
Sopra  vento de feição, Sopra vaidoso de seu ar,
sacudindo para longe as folhas cansadas,
mostrando na passerele a perfeição do criar!
Estes lampejos laranja, que brilham no jardim lá de casa
São reflexos cintilantes da ternura do Outono,
Do fulgor da lareira acesa, do chá quente e canela,
e do som baixinho a tocar!


16 comentários:

  1. Um céu azul soberbo, uns diospiros (serão mesmo ?) a dar uma força à imagem que o teu poema exigia.
    Tudo muito bonito, tudo perfeito, tudo fruto da tua NATUREZA.

    Um beijo enternecido por tanta beleza.

    ResponderEliminar
  2. Nossa, que lindo convite esse ao aconchego de um dia de outono, com friozinho, lareira e chá...

    beijos,tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
  3. Hmmm... Um olhar quente de Outono! Gostei!

    ResponderEliminar
  4. Luisa,
    como sabe escrever!
    sem dúvida você possui uma íntima e valiosa relação com a escrita. Há tanta beleza e significado nas suas linhas,
    é como quem borda um precioso, querido e belo traçado.
    grande beijo
    li

    ResponderEliminar
  5. linda planta, nao conheço, mas mais lindas as tuas palavras e tantos beijos minha querida Luisa,

    ResponderEliminar
  6. Muito bonita esta estação do ano, dá-nos uns dias fenomenais! Fotos espectaculares e uma ternura infindável de cores e cheiros.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. belíssimo olhar, doce Luísa.
    um olhar que faz água na boca :)
    bjo

    e parabéns pelo novo visual do blog :) está muito bonito.

    ResponderEliminar
  8. João, estimadíssimo SENHOR,
    tudo fruto da natureza que me/nos rodeia, sim!
    Beijinhos mil

    ResponderEliminar
  9. Chica,
    se por cá vier, terá chá quente e diospiros com canela, num sofá junto à lareira!
    Beijinhos mil

    ResponderEliminar
  10. Inês,
    é apenas um alhor acalentado no afecto de casa...
    Beijinhos mil

    ResponderEliminar
  11. Li,
    há olhares que nos lançam de novo para o aconchego da poesia.
    Este seu olhar, aqui e no grifo, foi um elixir de renovação.
    Mil milhões de beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Myra,
    são frutos! São diospiros.Se soubesse que chegariam inteiros a Velletri, arriscaria a enviar alguns, para que provasse.
    Vou tentar, prometo. Pode comer, desde que maduros, de forma simples, ou se preferir, com canela.
    Depois dirá como prefere...
    Beijinho diospirado.

    ResponderEliminar
  13. Xana,
    são outonices que nos vão dando matéria para continuar a por cá andar sem as palavras esgotar.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Marta,
    são odores, são cores, são olhares que pela tua delicadeza designas de doces.
    Beijinhos mil e muito obrigada pela visita

    ResponderEliminar
  15. Tonho,
    fruta de outono no jardim da minha mãe!
    Beijinho terno

    ResponderEliminar

Olhares de perto