quarta-feira, 19 de junho de 2013

O prazer de sentir a terra, num momento de lazer!

foto de Manuela SOARES, Cavez - Cabeceiras de Basto


Deixo as galochas descansar
o gato o ancinho guardar,
limpo as meias no tapete e subo o degrau rumo ao repouso!
Hoje, a faina foi prasenteira!
Soube-me a infância e correrias na eira!
Hoje, pintei a terra de riscos e deixei-a traçada da minha vontade!
Hoje foram plantados sorrisos que colherei prontamente...


10 comentários:

  1. Lindo demais!!! Versos e foto! beijos,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grata pela visita, Chica!
      Beijinhos com votos de um excelente dia!

      Eliminar
  2. que lindo:..plantar sorrisos...!!!
    beijosssssssssssssssssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Myra, estimadíssima senhora,
      plantar sorrisos é grantia de colheita! Haverá melhor produção?
      Mil beijinhos

      Eliminar
  3. Ambiente rural, como convém.
    Palavras que traduzem na perfeição o que se vê e adivinha.
    Parabéns por essas parcerias variadas.

    Um beijo, Luísa.

    ResponderEliminar
  4. João,querido amigo,
    Conheço a né desde que vim morar para Fafe!Familias amigas, pais muito amigo!
    A foto é da Né, e eu fiz como te faço a ti imensas vezes: dissertei sobre aquilo que li na imagem!
    Fácil, não é?
    Mil beijinhos para ti

    ResponderEliminar
  5. Luísa, passei tao perto de Fafe... Pensei tanto em vc! Mas tanto tanto...
    Estava a caminho do Porto!
    Agora só te deixo um beijo rápido mas muito carinhoso!
    Nao tenho tempo para os blogs... O facebook tem sido mais prático. Continuo a minha marcha!
    Beijo amigo e querido da Li.

    ResponderEliminar
  6. Luísa, fizeste-me voltar à minha infância,do tempo que passava no quintal com o meu avô a plantar, a regar a ouvir as bonitas histórias que só um avô sabe contar...
    Muito obrigada.
    Beijos Fi

    ResponderEliminar
  7. Luísa, fizeste-me voltar à minha infância e recordar o tempo que passava no quintal a plantar, regar mas principalmente a ouvir as fantásticas histórias do meu avô.
    Muito obrigada.
    Beijo, Fi

    ResponderEliminar

Olhares de perto