quinta-feira, 9 de junho de 2016

O tom do nome

foto da net

Há tons de voz que se materializam em comandos.

Uns, embalam-nos na memória do mimo
Outros, adormecem-nos no mimo da memória!
"Maria Luísa!"
traduzia-se em repreensão!
"Lú",
interpretava toda a tua atenção!
Entre o som austero
e o de comando doce,
sempre estiveste tu,
segura em todos os teus tons,
certa de todos os reflexos
de ti em mim, em nós!
Hoje sou eu,
sem nome...presa no teu olhar,
com saudades de ser quem sou:
"Maria Luísa!" no teu tom, outra vez!




3 comentários:

  1. segura em todos os teus tons,

    certa de todos os reflexos

    de ti em mim, em nós!

    Hoje sou eu,

    sem nome...
    velahí ...a poeta como influie e decide por nos..sempre doi asi

    ResponderEliminar
  2. Claro, claro. Quando tudo estava bem, eu era Quim, mas quando o caldo se entornava, ah, então já era Joaquim...e dito num tom bem diferente. Beijinho.

    ResponderEliminar

Olhares de perto