quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Voo na tela...delicadeza no sonhar


O voo da borboleta serve de símbolo aos teus passeios
Vais suave, delicada e aparentemente segura
Não transmites medo, nem dás ar de ter anseios!
No olhar levas a esperança, a vontade de vencer
De encontrar tudo o que gostas, tudo o que desejas ter!
Vai, vai delicada e segura,
Mostra-nos o teu ar,
Sorris-nos com ar de gente madura,
E parece que nos vais dar as cores do mundo!
Deténs a liberdade de quem é puro,
De quem avalia sem preconceito!
Ainda não descobriste que o mais duro
É encarar quem não tem regra, preceito!
Vai, vai ligeira e bem segura
De Mochila às costas com vontade de aprender!
Vais com sede do conhecimento,
De abrires os livros e te enternecer!
Vai, vai e levanta voo,
tal e qual a mariposa que voa sem ninguém temer!

21 comentários:

  1. Bons conselhos dados, LUÍSA, com a qualidade literária que é a tua marca e que tanto estimamos ter a oportunidade de apreciar para nosso deleite.

    Um beijo e até amanhã.

    ResponderEliminar
  2. Já vi ampliado.
    O teu trabalho é de uma delicadeza que, sópor si, já é uma poesia !

    Um beijo grande

    (Também vi os episódios do LAVAR AS MÃOS...
    Pois é assim neste pequeno jardim. E não só os jardineiros...
    Eu vejo nos sanitários dos hiper ou em qualquer lado.
    Há de tudo nas mais diferentes classes sociais, infelizmente.

    Um beijo.

    NOTA: A palavra do código que me calhou em sorte foi BEDIGO. Devia ter sido BEMDIZES!

    ResponderEliminar
  3. Lá estou eu com as asneiradas habituais...
    Desta vez, foi no "só por"!.
    Um beijo a pedir desculpa. a todos.

    ResponderEliminar
  4. Guardei um selo para ti na Caixa de Pandora. Passe por lá! Bjs!

    ResponderEliminar
  5. Хлопает крыльями бабочка - словно аплодисменты!
    (Batiam as asas de borboleta - como se os aplausos!)

    ResponderEliminar
  6. A natureza nos oferece lições em modelos possíveis...Quanto mais admiramos a beleza e leveza das borboletas em voo, mais percebemos a leveza como meta de ser e estar no mundo. Leves, livres, belos. E sim, podemos ser, mas o que faríamos da fragilidade se precisamos sobreviver fortes?
    Este talvez seja o nosso maior desafio sermos fortes e leves...

    Belo texto!
    Abraços e obrigada.

    ResponderEliminar
  7. Olá Luísa,

    É um prazer ler-te
    Acho que é por isso que leio tanto, sempre procurando essa harmonia, e quando a encontro sou tomda pela completa alegria.
    A mais bela parceria
    humildade e sabedoria.

    Encantadora e sentida poesia.

    beijos com muita admiração.

    ResponderEliminar
  8. Um dia deste encontrei uma grande borboleta, linda, morta, num sofá da sala.
    Também as borboletas cumprem o seu ciclo de vida e morrem. Mas o sonho, esse não morre nunca. O sonho é espaço e o espaço não pode morrer.

    ResponderEliminar
  9. Bonitas telas! Foste tu que as fizeste?
    Retrataste bem o "voo" leve, mas seguro da tua filhota, em mais uma etapa da sua vida, não é assim?
    Gostei muito, como sempre!

    Beijinhos Luísa e bom início de ano escolar para a tua filhota!

    ResponderEliminar
  10. Não, não sabia, Luisa, e curvo-e perante a sua aceitação. As penas vivas são muito mais difíceis de suportar do que as penas mortas. Não sei como reagiria se estivesse a passar por uma situação como a sua. Não sei mesmo. Ajuda-me por vezes a certeza de que a vida é feita de um constante Agora. O único momento que existe é o momento presente. E neste momento, sinto-me feliz por tê-la como minha amiga.
    Um grande beijinho,
    Maria Emília

    ResponderEliminar
  11. Luisa...

    Sempre volto e quando volto gosto mais de aqui estar...:)

    "NO olhar levas a esperança, a vontade de vencer"



    Beijinhos
    Pj

    ResponderEliminar
  12. Querida amiga Luísa,
    "Delicadeza no sonhar" e no escrever... L I N D O !!!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  13. A delicadeza de uma borboleta no escrever também...
    beijo, lindo final de semana

    ResponderEliminar
  14. como sempre tuas palavras me fazem bem.
    os teus versos sao tao lindos!
    beijos, minha amiga,

    ResponderEliminar
  15. Que lindo Luisa! Um voo, um sopro, um caminho...

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  16. Olá Doce de mãe!
    Que este voo , siga sempre o rumo do caminho certo e seguro.
    A tua borboleta ao levantar voo, saberá por em pratica todos os ensinamentos, daquela que lhe ensinou a voar.
    Um beijinho livre e sereno,
    Judite

    ResponderEliminar
  17. Bellas tus bolboretas casi como tu escrito y lo que desprende al ser leido,eres al igual que ellas un regalo para los sentidos .Un biquiño de A.Dulac

    ResponderEliminar
  18. Que os voos desta borboleta sejam serenos e plenos,
    acompanhados de magia e simplicidade,
    que os seus olhitos transmitam alegria e verdade,
    e os seus valores e princípios contagiem aqueles que com ela voarem.
    Neste voo só resta acompanhar, ajudar a encontrar os trilhos,
    para ganhar firmeza e continuar a voar...
    A esta borboleta tão especial um beijinho!

    ResponderEliminar
  19. Uma borboleta desta família, já chegou à minha casa.
    Com ela trazia o carinho e a tranquilidade se só tu sabes tansmitir.

    Beijos grandes!

    ResponderEliminar

Olhares de perto