quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Era tempo...tempo de hera


foto de ADÁGIO

O tempo agitadamente cresce, vagueia, passa...
Tal como uma hera agarrada à pedra,
aderente, meiga, célere no seu compasso!
Chegará o tempo em que tudo será hera,
E em que o tempo da hera, já era!
Cobrirá o local por onde passa
Embelezará a terra de verde
e dar-lhe-á toda a graça!
E enquanto o inverno chora
Ganhará força para cobrir o tempo
Um tempo cheio de vida,
Em cada hora de contentamento!

16 comentários:

  1. Bonito poema, Luísa. Gostei da leveza e continuidade das palavras.

    =)
    Beijos!

    ResponderEliminar
  2. Luisa!
    Belo texto da hera. eu tenho ela plantada ao redor do muro da minha casa. demorou muito para pegar...Mas cuidei...cuidei...colocava água, terra, sempre e ela não vingava, mas não desisti..Com a minha persistência, hoje ela esta ali, rasteou pelo o muto todo. Linda, bela e formosa.
    A era da Hera..
    Quem dera, sermos como a hera..Persistente e reistente.

    Um grande abraço.. Me perdoe pela demora. Mas são tanps os amigos.. que vamos visitando e quando percebemos, sempre fica alguém para ser visitado. Mas não esqueci de ti..
    sempre vivrei.
    Deixei um selo na Curiosa, super Amigas.
    Espero que goste é de coração..
    Além do selo de 40 mil visitas. Você faz parte de muitas delas. esolha um e traga para seu lindo Blog.
    Com muito carinho
    Sandra

    ResponderEliminar
  3. Deixo um convite para vim conhecer este lindo cantinhohttp://sandraandradeendy.blogspot.com/
    Quem sabe sabe até ser seguidora lá.
    Também tem o Poetas um Voo Livre..
    Tem o link no Blog.

    Na Interação de amigos, tem uma conversa com a imagem do João..Ficou muito legal..Venha e veja..
    Tome um café..
    Apesar que aui, está um calor de 45º. Uma loucura...
    Com muito carinho
    Sandra

    ResponderEliminar
  4. Lindo poema e eu adoro heras...beijos,chica

    ResponderEliminar
  5. Porque é que quando aqui chego já era?
    O que me vale foram as folhas que, entretanto, cresceram em tantos muros.
    E tu viste como tratei de regar essa hera graciosa...

    Um beijo tardio.

    ResponderEliminar
  6. Boa noite Luísa,
    que poema delicioso, sente-se que as palavras fluiram sem esforço e com a suavidade de quem ama escrever.

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  7. LINDO!!!
    Como eu adorava quando ia apanhar a hera..

    ResponderEliminar
  8. Já nada é como antes era
    tudo agora está diferente
    eu às vezes fique à espera
    à espera que faça bom tempo

    um beijinho,
    José.

    ResponderEliminar
  9. "... E de novo acredito que nada do que é
    importante se perde verdadeiramente
    Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas,
    dos instantes e dos outros.
    Comigo caminham todos os mortos que amei,
    todos os amigos que se afastaram,
    todos os dias felizes que se apagaram.
    Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."

    Miguel Sousa Tavares

    Desejo um lindo final de semana.
    Abraços com carinho.

    ResponderEliminar
  10. Quanto tempo sem passar por aqui, mas é que fiquei alguns dias sem blogar muito, agora aos poucos volto.. Gosto muito de heras e veio de encontro ao seu belo texto.
    Abçs,
    Ana

    ResponderEliminar
  11. aqui estou outra vez minha querida, admirando tuas poesias1 esta de "era..hera " ( eu plantei hera no meu balcao e cresce e cresce...)é muito linda, un poco melancolica, mas è que deve ser o meu humor de inverno...faz tanto frio, tanta chuva...beijos muito saudosos,

    ResponderEliminar
  12. um beijo grande para o fim deste Domingo,

    ResponderEliminar
  13. Sábio este pequeno poema de analogia entre a hera e o tempo que era antes e depois da hera.
    Um beijinho,
    Maria Emília

    ResponderEliminar
  14. Lindo!
    Este devia ser o post primeiro, ao anterior :)
    aqui leio esperança!!!

    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  15. um poema lindíssimo e uma foto que acompanha divinamente as palavras!

    ResponderEliminar

Olhares de perto