terça-feira, 4 de novembro de 2014

Olhar o rio

Aldeia de Mourulle - Taboada- Galicia - Xosé Figueroa Lorenzana

Hasteei o tempo com vento!
Assisti ao céu acinzentar!
Encheste-me de alegria
de vida vazia
Minho que passas,
calas-me o silêncio...

 esvaziando o meu olhar!


2 comentários:

  1. Nem o teu olhar se esvaziará jamais, nem, muito menos, a tua inspiração ! Um beijo, Luísa.

    ResponderEliminar
  2. O Minho há de levar
    vida a quem a procurar.

    ResponderEliminar

Olhares de perto