quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Amigos...

Foto da net Hoje não me apetece mar,
Não me apetece sorrir,
Nem sequer ver o luar!
Hoje não me apetece falar!
Não me apetece dar,
não me apetece olhar e ver,
que de todo o meu mar
foste uma onda perdida!
Em todo o meu sorrir,
deste gargalhada sorrida!
No meu poético luar,
foste uma luz fundida!
Por todo esse teu andar,
em que o dar foi perdido,
o olhar foi esquecido,
e o ensinar foi em vão,
continuarei a estender-te a mão,
pois no repouso da consciência,
dormirei descansada,
sem pressa, com lentidão.

19 comentários:

  1. Olá Luísa,
    Uma certa melancolia nas palavras que jorram de si numa inspiração poética perfeita!

    LINDO!!!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  2. Linda imagem será que hoje só te apetece amar Beijo Doce.

    ResponderEliminar
  3. Que não te apeteça o mar muitas vezes, então !

    Poesia que toca cá dentro, bem dentro da gente que tanto te aprecia e de ti gosta.

    Que te apeteça escrever assim !!!

    Um beijo feliz.

    A TEMPO: as letrinhas para copiar foram
    NESSESSE

    Então, que seja NESSE ESSE que encontres sempre a inspiração com que nos dás a mão.

    ResponderEliminar
  4. Luisa,

    Que bom que para tua sublime inspiração estejas sempre "apetecida"!

    Uma noite de paz!

    ResponderEliminar
  5. Acredito que as palavras possuem um certo tipo de alma, pois é fato que em qualquer momento que seja lido um poema trás ele o mesmo e intenso sentimento em que foi concebido. O que mais posso dizer além de obrigada por tuas palavras me fazerem tão feliz companhia com essa linda poesia que escreveu com alma de artista e de poeta.


    beijos ternos, beijos de amigos...!!!

    ResponderEliminar
  6. Pode não te apetecer quase nada, mas mesmo assim apetece muita inspiração, porque embora melancólico, é de uma linda melancolia...
    beijos

    ResponderEliminar
  7. "Não me apetece sorrir,
    Nem sequer ver o luar!..." (sic)

    Isso é que não, toca a arrebitar :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  8. e há dias assim
    dias que uma árvore parece uma floresta densa,
    dias cinzentos

    ResponderEliminar
  9. Olá Luisa

    Que foto bonita
    que me deixa a pensar
    parece que levíta
    com o meu olhar

    Há dias assim
    que nada vale a pena
    mas depois no fim
    sai um bonito poema

    um beijinho, José

    ResponderEliminar
  10. E Hoje ? Já te apetece mais alguma coisa?

    ResponderEliminar
  11. oi, minha querida Luisa, joga fora esta melancolia, mas o poema e a imagen sao lindos , lindos!!!
    beijo enorme

    ResponderEliminar

  12. Melancolia não!

    Um melão com LIA apetece mais!

    Beij♥s!

    ResponderEliminar
  13. Hoje,pode não te apetecer muita coisa, mas no teu pensamento nada ficará adormecido!
    Estarás de corpo e alma sempre presente!
    Para os dias assim, apetecenos deixar-te um grande beijo.
    Judite

    ResponderEliminar
  14. Sorry: apetecemos (fugiu-mr o dedo para o n)
    Dite

    ResponderEliminar
  15. Tanta tristeza... anima-te se faz favor!

    ResponderEliminar
  16. Tem dias assim, um pouco sem cor, um pouco sem luz... um pouco sem graça.
    Não nos apetece falar, sorrir e nem ao menos participar.
    Mas quando explicado de forma tão meiga e suave, como o teu poema, só podemos esperar o tempo passar, pois a certeza de dias melhores, já paira no ar!
    Beijo grande amiga!!!

    ResponderEliminar
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

Olhares de perto