sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Delicadeza do TONHO, para SELMA, JOÃO e LUiSA

Oferta de Tonho
Há momentos em que nos sentimos úteis!
Inspiramos o fabuloso António Oliveira
E ele mostrou-nos que não somos fúteis!
O João verdadeiro chairman, da vela dos descobrimentos
A menina do Mar, é a vela que abraça a brisa!
Eu terei muito gosto em pegar leme,
E orientarei rumo ao pô ética
Para homenagear o gentleman num acto mágico:
e

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

5 DIAS, A

Foto da net Hoje vou dar-te a mão
Apertar-te na minha imensidão
E vou fazer piruetas com a base do teu ser!
Hoje vou fazer-me chegar a ti,
Vou fazer-te sentir que estou contigo
E que não há longe nem distãncia para o amigo!
Tens-me contigo desde sempre, sabias?
E nestes contratempos estás a crescer
A mostrar a tua garra e a demonstrar o que é vencer!
No teu campeonato, ganhar é palavra de ordem.
Vais vencer cada jogo diário e provar ao mundo que
Quem nasce vem para viver.
Espero por ti, A.

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Navegar

Foto da net
Se a vida fosse um origami
Desenhá-la-ía em bote
Vincaria todos os vértices
Navegaria rumo a um norte!
Em cada página já escrita,
Desse mar imenso a percorrer
Daria a todos um convite
Pediria mais letras para escrever!
Quem viria salvar a tripulação?
A revista de eleição?
Talvez aquela com um olhar atento
Aquela que mostra ter visão!
Mas, antes do trajecto feito
Iria esgotar todas as palavras
Não lhes poria um defeito
Apenas as leria agradada!

domingo, 25 de outubro de 2009

Foto da net Cai a chuva, intensamente impiedosa,
molha tudo, molha todos, cai muito chorosa!
Para uns vem em desagrado do dia,
para outros vem abençoar as horas!
Cai, cai intensamente! Cai bem melodiosa!
Cai em pranto pelos desprevenidos,
cai sorridente pelos glamorosos!
Hoje vieste para mim, para aos saltos te receber
Vou brincar no charco que me ofereceste
Para que me possas ver!
Vou saltar, pular, ouvir os meus chlap-chlap!
Vou gargalhar na tua poça de água,
vou pedir que regues mais o meu prazer!
Cai chuva, cai! Vem abençoar quem de ti gosta!
Vem comigo pular, saltar, brincar,
pois enquanto te sinto no rosto, sei que há pele para te saudar!
Cai chuva, cai!
Brinda-me num dia de sol,
em que esteja preparada para ti, para no teu charco entrar!
E depois de chapiscar no solo,
Depois de em ti pular,
Vou ficar leve como uma criança,
e estarei pronta para voltar...!
Hoje oiço os pingos da chuva numa serenata ao luar!
Vou dormir feliz enquanto continuo a ouvir os pingos da chuva a cantar!

sábado, 24 de outubro de 2009

Pinceladas de sábado

Foto da net
Hoje larguei a agulha e peguei no pincel,
escolhi na paleta de cores as preferidas
olhei o céu e dei-lhes vida,
com rasgados traços desenhados na tela!
Hoje liguei a mais suave melodia,
onde o som da flauta se evidenciava,
e no horizonte do imaginário morava
a mais bela dança de nuvens, numa só sinfonia!
Depois, apaguei a chuva, soprei as nuvens,
Esbocei um sorriso e ...pincelei mais uma vez!
Dei comigo azul, branca, de olhos bem fixos na tela
Onde as marcas da suavidade se transferiram
E nela ficaram a morar os sinais mais claros
De um dia tranquilo, vivido na pacatez da cidade,
Onde mora um céu partilhado com o olhar do mundo,
Repartido por todos os que para ele olham!

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Silêncio de Vidro - Maria Eugénia Cunhal

Foto da net

Obrigada, amiga Jackie, pela partilha deste maravilhoso poema!
Não poderia ficar com ele guardado, no meu baú de poesia brilhante!
Este poema ofuscava mesmo se trancado com a chave do carinho.
Obrigada! Muito obrigada! Adorei.


"Olha-me bem nos olhos
E diz-me se acreditas
Que eu possa alguma vez
Já não gostar de folhas secas
Das velas remendadas das fragatas
Do sol, do céu, dos búzios, das estrelas
Do mar batendo a areia
Dos voos das gaivotas
Duns olhos que se dão numa promessa
Das lágrimas, do riso, da alegria
Da nona sinfonia,
Do calor que uma mão consegue dar
A outra mão, sem mesmo lhe tocar
Dos girassóis que Van Gogh pintou

Olha-me bem nos olhos
E diz-me que acreditas
Que até a morte vir
Eu hei-de amar as coisas que tu amas
E nelas sempre te encontrar a ti."


Maria Eugénia Cunhal - Silêncio de Vidro

domingo, 18 de outubro de 2009

O olhar do coração

Vamos viajar...
Depois da ilusão do Principezinho,
Decidimos redecorar o teu quarto
Peguei na agulha, na linha,no desenho de encantar,
Comecei a bordar...
Vais voar entre a lua, o sol, os asteróides!
Vais encantar com os pequenos vulcões,
Vais delirar com uma rosa vermelha na mão!
Adoraste a história quanda a li.
Estás a adorar ser tu a lê-la!
E um dia, quanda a voltares a ler,
vais perceber que a lição que este menino dá todos a deveriamos aprender:
"As coisas mais importantes são muitas vezes invisíveis para os olhos!
Só com o coração é que podemos vê-las"
Para o teu quarto, não vão só aguarelas...
Vão os bordados da mamã,
Com a certeza que estou a ajudar a construir
UM BELO SER HUMANO!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Piso cinzento

Foto da net Neste fim de tarde de Outono,
vi-te apressado, pensativo e preocupado!
O vento soprava devagarinho e despenteava-te
Mas eras tu quem arrepiava o tempo!
Caminhavas ligeiro, distante, embrulhado em ti mesmo
Sem ouvir a voz do vento que te soprou a mimar!
Ouviam-se os passos decompassados na concentração de ti!
Que trajecto desenhavas?Que pensamento levavas?
A preocupação que carregavas definiu-te cinzento
Tal como o chão que pisavas,um triste cimento!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Foto da net

Ontem, hoje, amanhã!
Cairam, caem, cairão!
Foram a pujança da árvore.
São o tapete da rua,
serão nova vida em humus,
em seres que na terra perdurarão!
Mas caem uma a uma,
delicadamente poisam no chão!
O vento sopra frocho
E a queda não tem perdão!
Se se levantam novamente
Ouve-se um ligeiro sorrir
parecem meninas da dança
anciosas por partir!
Sois tão belas quando sós
Mais belas ainda acompanhadas
Pareceis damas da corte
Nos dias de festa, envergonhadas!
Chamais um lenço ao pescoço
Incentivais o vestir mais quente
Das vossas cores tiram-se modas
Adivinhais-vos Outono,de cor ardente!

sábado, 10 de outubro de 2009

Folha de outono


Vieste sorridente, com um ar confiante!

Trazias algo frágil nas mãos, algo para ti muito importante!

Entregavas-me um troféu!

Recebi das tuas doces mãos, uma folha de carvalho,

desenhada pela natureza e dela já rejeitada pela força do Outono!

Perguntaste: "Vais guardar?"

"Claro que sim!", respondi prontamente!

Depressa decorei o cabelo preto com uma folha de outono amarela,

não aquele amarelo desmaiado, mas o amarelo de oiro,

aquele amarelo raro, digno dos troféus entregues pelas mãos duma criança.

Leo é o teu nome. Leo será para mim o nome do troféu, em forma de lembrança

Lembrança de uma vida cruzada entre o brilho do meu cabelo e o sorriso da tua esperança!


sexta-feira, 9 de outubro de 2009

9999..................10001

9999, foste tu, Zinha! Vieste anónima, pois és professora e não votaste PS!
Estás doente, pois claro! Ainda não digeriste a vitória do Sr. Ministro!

Agora o CAPICUA, não vão acreditar!
Já cá disse que as coincidencias são as mãos de Deus na minha vida!
Sabem quem entrou como 10001?
SENHOR JOÃO MENÉRES! Vieste como 10001, mais uma vez com uma diplomacia soberana!

A ambos muito obrigada pela vossa visita!
Voltem sempre.Tu, Zinha, para me "vigiar" como mana mais velha!
Tu, SENHOR JOÃO MENÉRES, como incentivo à escrita.

A ambos o meu beijinho terno.
Ao 10 000, um beijo igualmente terno...mesmo sem saber quem foi!
A todos, um abraço apertadinho.Vocês são a causa deste blog.
Beijinho terno a todos

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Descalça ao luar

Foto da netHoje estive na praia a brincar com o mar!
Ouvi-lhe os segredos, que prometi guardar!
Esperei pela noite para cumprimentar o luar,
Que confessou felicidade, por me ver regressar!
De sorriso no rosto pronto para os abraçar,
Desceu o areal o amor, que a nós se veio juntar!
Foi tudo combinado com o sol que raiou,
a chuva que nos brindou,
e o calor dos sentidos que nos acalentou!
Hoje não veio a nostalgia,
aquela que apareceu um dia, em que nada me apetecia!
Hoje dei as sandálias ao mar, para me poder calçar do seu mais doce ondular!
Tracei a echarpe na lua, para nela me baloiçar!
E deixei-me andar de pés despidos, para o ar poder beijar!
Hoje achei os sentidos...

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Amigos...

Foto da net Hoje não me apetece mar,
Não me apetece sorrir,
Nem sequer ver o luar!
Hoje não me apetece falar!
Não me apetece dar,
não me apetece olhar e ver,
que de todo o meu mar
foste uma onda perdida!
Em todo o meu sorrir,
deste gargalhada sorrida!
No meu poético luar,
foste uma luz fundida!
Por todo esse teu andar,
em que o dar foi perdido,
o olhar foi esquecido,
e o ensinar foi em vão,
continuarei a estender-te a mão,
pois no repouso da consciência,
dormirei descansada,
sem pressa, com lentidão.

domingo, 4 de outubro de 2009

Lavor...Louvor

Foto da net
A perna faz andar a roda da base de trabalho do artesão!
Dedica-lhe a velocidade certa para obra de arte feita à mão!
Uma esfera argilosa entrou na dança da roda...veio girar!
E espera das mãos do artesão a nova vida que lhe vai dar!
Com delicadeza em cada dedo, arte e sabedoria a deligenciar
Uma nova forma, um novo corpo que vai dali germinar!
Quantas voltas lá não deu, com o pensamento longinquo,
As preocupações da vida a molhar cada nova curva, novo vínco!
As rugas das suas mãos apenas mostram que da arte fez vida,
E na vida fez crescer toda uma vontade acrescida de com ela sobreviver!
Roda, gira, circula, fez a obra nascer,
aquela que comigo guardo para jamais esquecer!

sábado, 3 de outubro de 2009

Laços de ternura

Foto da netVeio delgada poisar na robusta folha
Que de verde intenso estendeu o lençol!
Trazia nas asas delicadeza sublime,
Como quem chega e oferece paz!
Parece que albergou com confiança
Com vontade de a acolher o tempo necessário
Enquanto ganhava forças para novos voos!
A natureza ensina como se ajuda,
Ensina a estender a mão a um amigo,
Basta que olhemos para ela,
Mesm que numa postura muda!
Porque na natureza a linguagem não é audível,
mas evidencia-se a dádiva entre os seres!
Basta que observemos!
A lição é muito perceptível!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Alvorada!

Foto da netMais uma alvorada apreciada pelo olhar desperto
Atento ao decorrer da vida, cálido de ansiedade!
Vê os minutos passar, o tempo a andar silenciosamente...
Mais uma alvorada oferecida, cheia de promessas de vida,
de novidades com cores suaves...
Espreita-lhe a luz, ainda ténue, que a vem engrandecer!
Espreguiçam-se os seres que a recebem com gestos envergonhados,
E lhe dedicam uma recepção merecedora de quem promete voltar!
Prepara-se mais um dia,
faz-se a recepção ao rodopio contrastante com este alvorecer!
Esticam-se os braços a dizer, com sorriso nos lábios:
Tenham um lindo dia!