sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Audição do sentir

foto by Xosé Figueroa Lorenzana - figo de Sabadelle

Lembro de ouvir as emoções
embrulhadas no silêncio,
caladas com tanto de tudo!
Presentes de calma na voz
de olhos postos atentos
no som inquieto do amor!
Lembro esquecer o mundo
perdido ali...
...entre o muro da minha solidez
e a vulnerável certeza de te ter de vez!
Perdi a noção do tempo
e no tempo encontrei-me em ti,
tendo perdido as horas com noção que me perdi!


8 comentários:

  1. Belo, belíssimo !!!
    Devia destacar tudo o que escreveste, Luísa, mas fico-me por estas palavras :

    Perdi a noção do tempo
    e no tempo encontrei-me em ti,


    Um beijo ( em dia sem tempo ).

    ResponderEliminar
  2. Luisinha, o último parágrafo é como a coroa no cimo da catedral.
    Tá belo! Está mesmo. Gostei.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
  3. A tua presença, senhor das mil e uma belas imagens, faz-me situar no tempo!
    Mil bjnhs

    ResponderEliminar
  4. Unha vez mais a Vilaca...entra na inmemensidade, para traernos as frores do xardin da memoria...ou do presente..e asi cubrirnos co manto do silencio mais doce...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje, ao reler o que escrevi, gostei de me ouvir!
      Este tem musicalidade, tem ritmo...
      Bjnhs

      Eliminar
  5. Apesar do tempo diluida no vacuo
    encontrei me em ti.
    Bom poema, Luisa.
    /os assentos ficaram no teclado/

    ResponderEliminar
  6. Só hoje li este poema, mas julgo que ainda estou a tempo de lhe dizer que é nota 20.
    Beijo DB

    ResponderEliminar

Olhares de perto