domingo, 22 de março de 2009

Livros ao vento...palavras que voam


Hoje o vento amanheceu feroz
Vem zangado, decidido e imponente!
Deixa em rebuliço tudo por onde passa,
Desfolha o menos protegido dos livros
Sem ler as suas páginas, sem acarinhar as letras!
Limpa o pó às folhas dos plátanos
Resgata as pétalas da mais jovem flor do jardim!
Hoje o vento vem furioso,
deixa-nos tudo varrido, vem com asseio!
Faz a sua passagem com alguma graça,
No seu movimento, assobia melodias,
Levanta todos da esplanada da praça.
Hoje o vento é tema de conversa
Entrou nas tertulias de domingo
por ter vindo com tanta pressa...
As palavras ditas também voam,
fazem o percurso do vento!
E nesta viagem oferecida,
Preenchem os livros do momento!

11 comentários:

  1. E o vento nem tudo leva... pelo menos deixa estes poemas que escreves

    ResponderEliminar
  2. Gosto do vento e tem razão nosso amigo Delfim, se veio a varrer mas deixou palavras tão bonitas como as que escreveu, que venham novos ventos...sempre.
    Um abraço e boa semana

    ResponderEliminar
  3. "...As palavras ditas também voam,
    fazem o percurso do vento!
    E nesta viagem oferecida,
    Preenchem os livros do momento!"

    Excelente querida amiga!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  4. Está lindo teu poema querida!
    O vento sossegou a chuva parou, a trovoada fugiu e o frio adormeceu!
    O sol sorridente brilhava no céu...
    Bjs.

    ResponderEliminar
  5. Estou um pouco apática por estes dias, mas prometo que me breve conseguirei escrever algo a altura de meus leitores.
    Peço desculpas por ser tão frágil e neste momento estar isolada e triste, mas não consigo ser diferente neste momento.
    Deixo aqui agora um pouco de minha tristeza.
    Prefiro viver cada momento, mesmo que seja triste prefiro viver a tristeza, depois chegará a hora da felicidade e, está será plena como a tristeza.

    ResponderEliminar
  6. Saber aproveitar os bons ventos é arte poética...
    Bem patente no teu poema, do qual gostei imenso. Parabéns.
    Beijo.

    ResponderEliminar
  7. Esta bien que el viento se lleve lo malo y que generosamente reparta lo bueno,bello y melancólico poema,un saludo.A.Dulac

    ResponderEliminar
  8. Nesse texto você me fez perceber o quanto é incrível as ondas do vento na vida da gente.

    que os bons ventos possam sempre cair em nós;
    e que o momento sempre se desenrole no nosso papel;

    =D

    ResponderEliminar
  9. Ólá menina!
    Faz a sua passagem com alguma graça,
    "No seu movimento, assobia melodias,
    Levanta todos da esplanada da praça" Imaginei as pessoas tentando se proteger do vento, levantando dos bancos e procurando abrigo.
    Muito bom ficou tudo isso!
    E na foto o vento faz do livro barco a vela!
    Muito boa a poesia!!!
    BeijO grande pra ti!!

    ResponderEliminar
  10. Amiga,
    Estou de volta. Estava com saudades do seu blog e de ler seus textos. Obrigado pelo comentário carinhoso.
    O meu irmão tem um blog "muito bom". É escritor e jornalista. Ele conhece muito Portugal e gosta muito deste lindo país. Se quiser conhecer acesse www.todoprosa.blogspot.com
    Abçs,
    Ana

    ResponderEliminar
  11. Amo o vento! Sinto que quando ele passa, leva consigo tudo que é triste... carrega minhas dores e decepções. Fico paradinha, esperando que a limpeza se acabe, e me sinto refeita, pronta para seguir.
    Devido aos desencontros, vim aqui matar a saudade de você, doce amiga!
    Um grande beijo.

    ResponderEliminar

Olhares de perto