segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

O som do silêncio



Talvez na hora de ouvir o grito

Se dê valor ao silêncio

Não aquele silêncio sem som

Mas o silêncio com capacidade de se ouvir

Não o silêncio sem palavras

Mas o silêncio audível das frases inteligentes

Não o silêncio sem comunicação

Mas o silêncio que fala mais alto

O silêncio que não se perde nada do que diz

Que não se perde nada do que sente!

O silêncio que fala num olhar, que mudamente mostra o que diz

Está na hora de crescer, de olhar e ver

De esquecer que com o poder podes gritar e falar mais alto,

porque na hora de conversar, isolas-te na sala dos berros.

Um dia, vais querer quem te oiça e ninguém vai conseguir estar contigo para te ver sorrir.

8 comentários:

  1. Curioso é que eu escrevi nesta semana mesmo um poema sobre caminhar em silêncio, acompanhado mas em silêncio... Às vezes é bom, desde que não seja um silêncio angustiante como esse que descreves, não é?

    Aproveito para agradecer a visita aos meus textos. Ah, a Índia é uma mistura de sensações que não é fácil de descrever, difícil se acostumar a ela!

    Abraços!

    ResponderEliminar
  2. Olá Luisa,
    tem razão, está na hora de ouvir o silêncio feito verdade, de cantá-lo com o senso da igualdade, e senti-lo com o peso da fraternidade.

    Bonito post, com grandeza de sentimentos!

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  3. Estimado Eduardo,
    se escrevemos sobreo mesmo, só eu publiquei!
    Há coincidências maravilhosas, não?



    Querida ana,
    Esta nobreza de sentimentos foi herdada...de uma mãe fabulosa e de um pai fora de série, que souberam transmitir valores!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. O melhor livro, a melhor invenção, a melhor música, o melhor lar, a melhor conversa, o melhor da vida, é sem dúvida a coragem que temos que ter para saber ouvir os sons emitidos por aqueles que nos querem bem. BJS

    ResponderEliminar
  5. ..........................................................................................................................no words... just feelings..................................................

    ResponderEliminar
  6. Desse silêncio sem lembrança de palavras...
    Veja como é fácil fazer gestos sem som da foto...
    Gostei demais do texto.
    Beijos do Coração!

    ResponderEliminar
  7. Dalaila,
    just feelings...

    Patinar em Fafe,
    ouves muito bem tudo o que te quero dizer. A tua audição pela linguagem da alma, fez-te ressuscitar e agarrar à vida. Só ambos sentimos do que falo, certo?

    Felicia,
    tu ouves no silêncio e ensinas a falar com os olhos!
    No teu mundo, meu mundo, aprendo todos os dias a falar com as mãos!
    Tu, fazes-me igual num mundo de diferenças!

    ResponderEliminar

Olhares de perto