sábado, 7 de novembro de 2009


© Mitchell Kanashkevich

CONVITE

Visitem http://alinguagemdosrostos.blogspot.com
A autora, Gisela Rosa, merece toda a nossa atenção.Vão adorar conhecer o trabalho dela e tudo o que ela partilha com o mundo. A foto de hoje é uma pequena amostra do que por lá podem encontrar...Outros olhares, outras vidas, outro mundo!

A esta criança que ela postou, ofereço este poema. E, se um dia eu carregar jarros de água, tentarei fazer-lhe uma vénia, pela sua infantil madura destreza.

Gostarias de apreciar o céu
Olhar cada nuvem formada
Beijar o ar que respiras
E perceber cada tua passada!

Caminhas ligeira, feliz!
Rumo ao destino do teu jarro
Mesmo criança, ninguém te diz
O peso que carregas já é teu fado!

Vale o sorriso belo, típico de gente
Esse olhar seguro, singelo e terno
De quem aprecia, observa e sente
que os que te comentam são efémeros!

A postagem de hoje é-te dedicada, Gisela Rosa!
Obrigada pela tua linguagem dos rostos, pois com ela fazes-me pensar que nem sempre sabemos falar.
Votos de muito sucesso no teu ímpar blog.

13 comentários:

  1. LUÍSA

    Só agora pude ir verificar as novidades, pois estive a tratar de uma postagem extra para amanhã.
    Só espero que a A. S. tenha tempo para fazer os redimensionamento das imagens...
    Hoje é sábado e deve estar sobrecarregada de trabalho lá no outro Oceano, que daqui faz uma diferença de oito horas.

    Da GISELA, até este momento, só conheço o seu EXTRAORDINÁRIO blogue A MATRIZ DOS SONHOS.
    A LINGUAGEM DOS ROSTOS tinha-me escapado!
    Mas, vou recuperar o tempo perdido, ai isso é que vou!
    Só esta imagem constitui, por si só, UM CERTIFICADO DE ELEVADO MÉRITO. Aliás, a GISELA só sabe apresentar textos e imagens de ELEVADÍSSIMO GRAU DE QUALIDADE!

    Este teu poema, que nem precisa de título, é um hino a essa criança e a milhares (ou milhões?) de tantas outras. A maioria sub-alimentada e. portanto, com condições de vida inimagináveis.
    Crianças que jamais foram crianças!
    Nem no ventre materno, foram fetos como todos os outros.
    E isso é arrepiante!
    A esta hora da noite, causa-me um mal estar que desconhecia.

    Um beijo para a GISELA, outro para ti e, se pudesse, deixava outros, muitos outros, para essa e outras crianças que, sofrendo, nem sabem que sofrem.

    ResponderEliminar
  2. Querida Luísa, as palavras às vezes são insuficentes para nelas colocarmos o que sentimos, sinto-o neste momento e também o senti quando decidi criar A Linguagem dos Rostos. Há muito que observo os rostos pelos quis passo e vou admirando os seus traços, não pela beleza "instituída", mas por aquilo que eles nos podem revelar de mais profundo. A par e passo vou-me dando conta de como podemos observar a linguagem cultural e psicológica através dos rostos que falam silenciosamente.....

    Gostava de dizer que grande parte das imagens que edito não são minhas (apenas algumas), os autores estão referenciados abaixo das mesmas.

    Este blog não deixa de ser uma expressão da alma, por isso fico muito feliz quando pessoas como tu se aproximam...

    Os rostos que edito questionam, se reparares, alguns deles parecem tristes mas vão mais além ao revelarem a Beleza intrínseca do seu Olhar que nos olha através de vários prismas culturais...

    Os rostos encerram uma comunicação silenciosa que me fascina....e alicia...


    Muito obrigada Luísa, pelas palavras, pelo belíssimo poema que vou colocar na Linguagem dos Rostos...um beijinho


    Gisela Ramos Rosa

    ResponderEliminar
  3. minha querida amiga, nao sei bem a quem comenzar a elogiar:)
    bem primeiro a voce, que colocou esta formosa foto desta menina, e tuas palavras que emocionam, a Gisela por ter feito a foto e tambem que se preocupa, alias como todos que temos sentimentos, em ver, saber, e publicar este mundo de infancias, milhoes -que nao tem. infancias..-
    ao Joao, por escrever e expressar todo que sinto tbem...
    e tantos beijos e admiraçao aos tres,

    ResponderEliminar
  4. Queridos o autor da foto é


    © Mitchell Kanashkevich


    Eu apenas selecciono imagens que me tocam e edito no blogue A Linguagem dos Rostos.


    Um grande abraço a todos, Gisela Rosa

    ResponderEliminar
  5. Excelente imagem e poema, pena é que as crianças, não possam ser crianças e já nasçam com as «grilhetas» da subsistência.
    Bj,
    Manuela

    ResponderEliminar
  6. Luísa

    Linda a tua poesia em homenagem às milhares de infâncias ceifadas prematuramente pela Vida! Que tristeza toma conta de mim (concordo tb com o João) ao ver aqueles rostinhos amadurescidos pela força dos golpes que a dura realidade lhes impõe!

    Com certeza vou conferir a tua sugestão, pois vindo de ti e depois de ler o comentário que a própria Gisela fez, realmente, deve ser um blog de muito valor!


    Obrigada pela partilha,
    Parabéns as duas,
    Bjsssss

    ResponderEliminar
  7. passei te dar bom dia e um grande beijoo

    ResponderEliminar
  8. Olá Luísa,

    Que maravilhosa e justa homenagem que fez. Fui até lá conhecer e confesso estou ainda meio tonta com tudo o que vi. Obrigada pela indicação...sítios que valem a pena conhecer.

    beijos

    ResponderEliminar
  9. hummmm que belo o que acabei aqui de encontrar!!!

    Como é bom ser criança mas que infelizmente para muitos não aconteceu... é triste!

    Fico orgulhosa da homenagem prestada à Gisela, pois fomos amigas de infância em terras africanas (e vizinhas) até que o 25 Abril de 1974 nos separou! Mais tarde reencontramo-nos em Portugal e ambos nos sentimos muito felizes por este renovar amizade :)

    Beijinho grande para ela
    e
    outro para si Luísa!!!!

    ResponderEliminar
  10. muito terno o teu poema!
    é duro pensar nas agruras que por este mundo andam e nem sempre se estampam nos olhares.

    um abraço

    ResponderEliminar
  11. Muito obrigada de novo Luísa!


    Um beijinho a todos!

    ResponderEliminar

Olhares de perto