sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Silêncio ruidoso

foto da net

Um dia pedi ao vento para silenciar a sua passagem!
Disse-lhe, baixinho, para passar sem dar sinal,
talvez que fizesse o seu trajeto sem se mostrar!
Pedi delicadamente! Nada de mal!
De repente, levantou-se em polvorosa, reagiu nervoso,
passou com marcas de vendaval e deixou tudo que julgou necessário!
Ofereceu, abruptamente, um impacto de luz que se apagou,
cegou!
Espalhou um ruído estrondoso, ensurdeceu!
Deixou-me em silêncio por o não poder calar...

13 comentários:

  1. De repente, levantou-se em polvorosa, reagiu nervoso,
    passou com marcas de vendaval e deixou tudo que julgou necessário!

    o vento , meu amigo...especialmente descrito por Luisa Vilaça

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O vento,nosso amigo! Ora estrondoso,ora calmio...verdade,Xose?

      Eliminar
  2. Ele não passa em silencio,,ele passa deixam-do marcas de vendavais ,espalhando silencio que ninguém o pode calar....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem dias,Mari!tem dias que passa so em brisas...

      Eliminar
  3. Não há desejos satisfeitos, que não deixem algo a desejar...
    Não há silêncios isentos de ruído...
    Nada é absoluto neste caminhar...
    Nem tudo o que queremos é consentido...
    Mas continuamos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Li e voltei a ler a reflexao! Intensa e ruidosa!!obrigada!
      Bjnhs

      Eliminar
  4. Luisinha,
    Fico sempre espantada com a tua escrita. Por favor continua.
    Obrigada pela partilha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joaquina,
      Escrevo para nao embrutecer!
      Uso a escrita como a arte da fuga! Pelo menos tento...
      Mil bjnhs

      Eliminar
  5. E eu que tanto gosto de apreciar o ruído do silêncio...
    OGerês é bom para tal, quando escolhemos trilhos monte acima.

    Belo poema, Luísa.
    Como sempre !

    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Antes o vento a soprar de norte, mas a ouvi-lo no sofá quentinha...
      O Gerês será mais lá para a primavera. Daqui a uns dias, portanto!

      Eliminar
  6. aqui o vento nao para nunca! ululante, terrivel eu detesto VENTO!
    mas gosto como escreve:)
    bjossssssssssssssss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Myra,
      odeio vento forte! Daquele que nos empurra estrada fora, que fustiga as árvores e nos faz tilintar bem forte!
      Antes brisas,certo?

      Eliminar
  7. Ha dias assim,em q percebemos a importancia dos sons que nos rodeiam e molestam (ou nao)!

    ResponderEliminar

Olhares de perto