quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Leitura de ti

Juro que te vi aluada,
de olhos perdidos na nudez do rubor que, envergonhado, te mostrou a tez!
Juro que te vi sorrir
das conversas não tidas
e do conluio sentido pelo silêncio!
Vi-te diferente,
de mãos quentes de dádiva
e abraços apertados de presentes.
Olhei-te cansada do dia...
...momentos de reflexão vago,
num vazio preenchido por ti!
Juro que te li.




2 comentários:

  1. Há tantas conversas no silêncio das palavras...

    Desejo tudo pelo melhor, Luísa.
    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
  2. Uma leitura atenta com olhos do coração.
    Vim olhar de perto. E não vinha cá há tanto tempo... Quem perde sou eu... eu um perdulário sem emenda.
    Venho porque estamos a chegar a um tempo diferente; em que o frio estimula o calor. Humano. Calor que é preciso para manter a nossa sanidade neste "vale de lágrimas".
    Luísa, para si e todos os que a rodeiam as maiores felicidades. Nestes dias de festa e nos futuros que hão-de ser muitos. E um sapatinho cheio de carinho.

    ResponderEliminar

Olhares de perto