segunda-feira, 18 de maio de 2009

Mania de escrever


Imagem da Net
Tenho o gosto pela escrita herdado pelo meu Pai
Que desde pequena me deu folhas, papel e lápis
Para nelas poder desenhar ao sabor da minha vontade,
com sabor a vontades múltiplas de desenhar palavras!
Sempre lhe ouvi o incentivo de iniciar algo belo
algo meu, algo diferente...
Devo-lhe a mania de escrever
De usar o aparo da caneta
e ver aparecer as letras, uma a uma,
cada uma com o seu sentido, com o seu som!
Umas aparecem a dançar,
Outras a sorrir ao sol,
Algumas traçam linhas nas pautas de música
Para nelas poderem cantar!
Soltam-se palavras, escritas sob cansaço,
Que fogem ao adormecer da alma!
Rematam-se algumas pela inspiração da imagem,
(do João Menéres,por exemplo),
De autores de bom gosto, que registam cada viagem!
Saiem outras bem animadas, pela originalidade das postagens
Lembro o Tonho, o Fantástico cartoonista,
que me aviva a vontade de escrever e ser cronista!
Escrevo palavras com sentimento solidário, ME,
que pela coincidência na perda,
me chamam a escrever o meu entendimento sobre ela!
Algumas palavras voam com pardalitos,
num momento diário de visita à escola!
Outras, são lançadas ao vento,
sempre com doçura, enviadas pela janela...
Quem as merecer, que as apanhe.
Serão sempre oferecidas com muito carinho,
escritas pela mania de escrever!

12 comentários:

  1. Que bom para nós que solte essas palavras, não ao vento, mas aqui. Registadas para as saborearmos nos momentos mais ou menos solitários da leitura.

    ResponderEliminar
  2. Continue sempre assim...a escrever tão bem!
    Eu também continuarei por cá a receber as suas palavras com carinho e desfrutando com vontade da sua sabedoria!

    Beijinhos Luísa!

    ResponderEliminar
  3. Olha se eu não te visitava agorinha mesmo...
    O que eu tinha perdido de muito belo para sonhar e voltar a sonhar com todas as letras que vais compondo nessa pauta que de perto se tem de olhar.
    Uma honra (imerecida, embora) EU estar nessas linhas
    que vão e vêm tal como o movimento de um baloiço.

    Muito bonito o teu texto em que prestas uma homenagem fantástica ao teu Pai.

    Obrigado de novo.
    Aqui fica o meu beijo.

    ResponderEliminar
  4. Querida amiga,
    é uma mania sádia e até gostosa.
    Como sabe seguimos de mãos com o gosto pela escrita.
    As palavras fluiem dentro de si e se derramam no papel, para depois serem sorvidas como que mágicamente por quem a gosta de a ler, como é o meu caso.

    Beijinhos,
    Ana Martins

    ResponderEliminar
  5. E que bela mania... ainda bem que a tens!
    jnhs

    ResponderEliminar
  6. A Luísa não "escreve"...
    ...ela desenha com palavras!
    O olhar é bem juntinho do que "vê"
    portanto as palavras são fiéis
    ao que "lê".
    Acredito que Luísa é muito linda
    por fora, porque o interior já sabemos!
    Tudo graças ao amor que teve
    deste pai maravilhoso que a fez
    a se fazer assim.
    Obrigado, que honra ser citado por ti neste texto.

    :) Beijos ternos!

    ResponderEliminar
  7. Abençoado pai que tal dom transmitiu e vício criou.
    Continue Luísa a brindar-nos com os seus rabiscos desenhados em letras que se unem umas às outras formando palavras, que correm umas atrás das outras formando os bonitos textos que nos oferece a cada instante.
    Um grande abraço,
    Maria Emília

    ResponderEliminar
  8. Ai Ai, Sr. Pai da Luísa, isso faz-se!
    E agora!!!
    Está toda a gente contagiada por tão belos desenhos das letras.

    ResponderEliminar
  9. Que bela mania essa e que bom teres á tua mão sempre papel e lápis á tua disposição para o fazeres :)
    beijos meus

    ResponderEliminar
  10. Quem tem o coração na pontinha dos dedos, precisa escrever...
    beijos

    ResponderEliminar
  11. ainda bem que o teu pai o fez, ganhamos todos com isso... a tua escrita nem o vento a consome

    ResponderEliminar
  12. Mais uma vez repito que deverias considerar em publicar essa tua "mania de escrever". Quem o faz desta maneira tem um dom para a poesia.
    A vida está cheia de grandes escritores; só precisamos da arte para os reconhecer. E eu já encontrei mais uma...
    Vá lá, vai por mim, tens muito talento.
    Um beijo, para a minha nova poetisa.
    Judite

    ResponderEliminar

Olhares de perto