sábado, 16 de maio de 2009

Olhar que vê


Tenho um olhar de pormenor
De quem investe tempo a ler o outro
De quem se esquece de si...
Troco o mais valioso quadro
Pela alegria de vos ver sorrir
Quero encontrar-vos em paz
Sem desajustes da vida,
Sem tarefas por cumprir!
Olho todos e vejo vontade
Vontade em recuperar o tempo perdido
Em pequenas coisas do dia, sem valor.
Poder gastá-lo no que vos dá prazer...
Reaprendemos a viver,
A enfrentar as dificuldades sem chorar,
Sem deixar que a voz nos faça traição
E mostre o que sente o coração.
Serei sempre um olhardeperto
que por vezes parece invisual
só para não mostrar que vejo
Toda a dor que mora em ti!

5 comentários:

  1. o teu coração, a tua pele, o teu sangue, vêem com os olhos de dentro, esses que te vestem semprem

    ResponderEliminar
  2. Por onde andas?O que fazes?
    Sempre o ombro disposto a ajudar?
    Trilhos safados, não?

    ResponderEliminar
  3. Serei sempre um olhardeperto
    que por vezes parece invisual
    só para não mostrar que vejo
    Toda a dor que mora em ti!

    Luísa tu és bem isto.

    Ao comentares em meu blog tens sempre uma palavra que remete
    a esperança...

    Parabéns por seres assim!
    :) Beijos ternos

    ResponderEliminar
  4. Esse teu olhar, reconhece que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e periodos de crise. A mais bela viagem da tua vida é a que fazes em direcção aos outros.
    beijo,
    judite

    ResponderEliminar

Olhares de perto