sexta-feira, 20 de junho de 2014

Devaneios de insolação

Sob o sol deixei o sonho
bronzeado de vontades queimadas!
Não voltarei àquela praia,
para não mais escaldar a ilusão e o momento!
Desidratei a quimera,
sequei o olhar...
...morri na captura do sol!

4 comentários:

  1. Pois comigo passa-se o contrário, Luísa !
    Claro que me refiro à Rocha, uma praia de extenso areal e com um mar
    ( normalmente ) tranquilo e com uma temperatura na época balnear que anda pelos graus que me agradam.
    Reparo agora que não tive uma idéia poética !...
    Deixo-te todo o espaço, Luísa.

    Um beijo muito amigo.

    ResponderEliminar
  2. Só não voltamos "àquela" praia enquanto durar a recordação da queimadura.
    Mas assim que passa a dor, lá voltamos nós à mesma aventura...

    ResponderEliminar
  3. Eu não tenho praia nem piscina perto de mim mas sei na mesma o que é sofrer com o sol. Eu sofro imenso com as temperaturas altas,se eu ando muito tempo ao sol fico com dores de cabeça muito fortes,no fundo,acho que isso acontece com toda a gente!! Ainda não foste visitar o meu cantinho,espero que passes por lá,tem muitas novidades boas e fresquinhas todos os dias!! mundomusicaldacarolina.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. É um risco afrontar-se o sol
    no deserto da praia,
    e, no entanto,
    na dose certa pode curar males
    de humor e de amor.

    ResponderEliminar

Olhares de perto