segunda-feira, 16 de junho de 2014

Ditado da natureza

Olhei-te, natureza, e vi o texto por escrever!
Soubeste ditar os parágrafos  sem impor pontuação
fazendo dissertações da lua...
Balbuciaste o nome do sol, 
num romance inocente, aplaudido pelas estrelas!
Quantas mais histórias tens para contar?
-Daquelas que nos deixam sem carvão no lápis
pela pressa de todo o enredo apanhar...
Dita devagarinho, 
eu mal sei escrever!
Diz-me cada palavra baixinho,
para no ditado nada perder...




14 comentários:

  1. E cá temos a Luísa no seu melhor !
    Hoje, devia transcrever todo o teu poema de tão belo ele é, sabes ?
    Deixo-te um beijo numa tarde de muito calor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ter-te amigo e tao bom!!!
      Protege-te do calorbjnhs

      Eliminar
  2. Dita devagarinho,
    eu mal sei escrever!
    Diz-me cada palavra baixinho,
    para no ditado nada perder
    Non lle fai falta a Luisa..que lle dicten devagarinho...ela...atende ..e entende...!
    Bicos mil..!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem dias...horas...em q o ditado corre bem!
      Bjnhs, Carmen

      Eliminar
  3. Gosto tanto, Luísa. Gosto do mundo tratado por tu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Volta sempre, Luisa! A minha casa e a tua casa! Deus te abencoe

      Eliminar
  4. Não tenho palavras para descrever o quanto me sensibilizou este belo poema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sensibilidade so mora nos naturalmente nobres!
      Bem-vindo(a) a este olhar

      Eliminar
  5. "Olhei-te, natureza, e vi o texto por escrever!Soubeste ditar os parágrafos sem impor pontuação fazendo dissertações da lua..."
    E soubeste transcrever direitinho, a mãe natureza n podia contar com melhor ouvinte!
    bjinhos

    ResponderEliminar
  6. "Dita devagarinho, eu mal sei escrever!".
    Eis um belo e correto olhar à mãe natureza. Um olhar de humildade e aberto às lições (ditado?) que sempre nos dá. Parabéns.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aprendendo...escrevendo...tentando!
      Beijinhos, joaquim!

      Eliminar
  7. Escreveu-me a Luisa neste espaço infinito!
    Merece o perfume do papel.

    ResponderEliminar
  8. Com toda a certeza que a minha vida desde criança já dava muitas histórias para contar,embora seja triste porque tive uma pessima infância,deixei de estudar quando fiz o 11ºano porque sofri de uma enorme depressão nervosa mas agora com 28anos sinto-me imensamente feliz e já não ando tão desiludida da vida mesmo com a saúde dos meus pais a piorar e eu tenha que os ajudar em tudo o que possa!! Muitos beijinhos e fica com deus!! mundomusicaldacarolina.blogspot.pt

    ResponderEliminar

Olhares de perto