segunda-feira, 30 de junho de 2014

Avança, o verbo é não parar!

foto da net

Quando a vontade é desistir,
há uma voz que sussurra: espera,
o verbo é avançar!
Quando as ideias deixam de fluir,
existe uma mão que te empurra: anda,
o predicado é o talento!
Quando poisas o lápis,
o murmúrio é de incentivo: não vale parar!
 É quando te oiço, natureza,
que avanço e me deixo empurrar,
não parando...

5 comentários:

  1. Abrandar, é uma coisa.
    Parar ?
    Nem pensar, Luísa !
    Tens inspiração para dar e vender !
    E a prova está na tua postagem de hoje !

    É de lápis que precisas, é ?
    Diz logo, sim ?

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. "Quando a vontade é desistir,há uma voz que sussurra: espera,o verbo é avançar!"
    Pois é, e é no avançar q alcançamos a gloria, e n no desistir, parabéns, está fantastico, belissimo poema!

    ResponderEliminar
  3. Belo poema. É tão bom e salutar fazer silêncio e escutar a natureza. Quantos segredos escuta e quanta inspiração se nos oferece! Silvana

    ResponderEliminar
  4. A natureza é uma grande mestra. soubesse a gente libertar-se do que lhe é contrário e...outro galo cantaria.
    Beijinho.

    ResponderEliminar

Olhares de perto