sábado, 29 de março de 2014

Números



Entre números e estudos,
avalio o tempo que passou!
Serão dados para ler mudos,
com leituras possíveis do que mudou!
Ficam sempre lições tiradas,
daquilo que os números trazem.
Servirão de guião para futuro,
não repetindo erros por amostragem!
Só não aprende quem não quer,
pois a vida apresenta-se uma lição!
Com números, com somas e perdas,
com saberes concentrados em mim, mulher!



4 comentários:

  1. Na frieza dos números, encontra-se a dimensão do viver.
    Profundo este teu poema.
    Abração.

    ResponderEliminar
  2. Com uma dezena de algarismos, quantificamos a vida até ao infinito.
    E o tudo é apenas a soma das partes: as emoções de um sonho; os pigmentos da cor; os fatores que nos fazem sorrir...

    ResponderEliminar

Olhares de perto