segunda-feira, 17 de novembro de 2008




Amar!Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui...além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar!Amar!E não amar ninguém!
Recordar?Esquecer?Indiferente!...
Prender ou desprender?É mal?É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!
Há uma Primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!
E se um dia hei-de ser pó,cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...

Florbela Espanca

6 comentários:

  1. Adoro as poesias de Florbela! São tão cheias de sentimento e tão expressivas! Ótima escolha! Estou aqui retribuindo (ainda que tarde) a visita que fizeste ao meu Blog. Muito obrigada pela gentileza de suas palavras. Gostei muito do seu espaço, repleto de delicadeza e sentimentos. Voltarei sempre!
    Beijinhos!!!

    ResponderEliminar
  2. adoro a f. espanca. simplesmente adoro..

    excelente escolha...

    beijo terno

    ResponderEliminar
  3. Oi querida, não conhecia Florbela Espanca, agora já tenho uma pequeníssima idéia rsrs.
    Muito obrigada pelas informações do George Harrison, adorei saber porque sou fã dele hehe.
    bjão e adoro as tuas visitas!

    ResponderEliminar
  4. Ola Luisa

    É sempre lindo reler Flor Bela Espanca ainda mais este soneto.
    Como é bom Amar e ser Amado...
    Tal como coloquei no meu Blog estarei ausente por uns tempos da minha escrita.
    Nunca digo Adeus mas sim um Até Já!

    Com Carinho.
    Miguel

    ResponderEliminar
  5. Bellos sentimientos y deseos ,un placer el haberlos leido,un saludo de A.Dulac

    ResponderEliminar
  6. espanta-me nunca o ter colocado no farol, mas é sempre bom encontrá-lo aqui, tão perto

    ResponderEliminar

Olhares de perto