sábado, 1 de novembro de 2008

Sábado à noite!


Sábado à noite!O dia está a acabar.
O frio bate às janelas sem que ninguém o queira deixar entrar!
O céu, adivinha o negrume do dia, onde todos ocorrem aos cemitérios, hoje
pesados de dor e sofrimento, antigo ou recente,estampado nos rostos.
Chora-se a saudade e o que ficou por dizer...
Apertam as emoções e jamais será tempo de voltar atrás!
Em casa, escolhe-se o maior cavaco para a lareira, assam-se castanhas e festeja-se a vida.
Ouve-se a voz da criança,na tertúlia animada sobre os filmes que irá escolher para ver. Ganhou o "um-dó-li-tó", "Pedrito em Era Uma Vez o Corpo Humano - o coração", que lhe fará companhia após conclusão dos trabalhos de casa.
Estalam as achas na fogueira, ouvem-se os nomes começados por P: "Mãma, Pequeno Polegar é com "P", não é?".
Segue-se o momento de cinema e o pedido singelo de colo...
Assim será...

3 comentários:

  1. Mimo é afecto!
    Boa forma de construir...

    ResponderEliminar
  2. Lindos textos, lindo blog. Inteligente e delicado. Voltareismais vezes para ver as novidades.
    Gostei da sua visita no meu blog. Volte sempre e será bem vinda.
    Abçs,
    Ana

    ResponderEliminar
  3. Tive muita pena de não poder estar presente (no cemitério)! mas vou sempre que posso...e estás sempre no meu coração(Mãe).
    Penso mts vezes em ti e peço-te que olhes por mim!

    A ida ao cemitério não passa de falsas aparências, refiro-me a algumas pessoas, o que importa são os sentimentos,as lembranças... e os meus estão sempre cmg...

    ResponderEliminar

Olhares de perto