segunda-feira, 3 de novembro de 2008


Conto as folhas que juntei
Antes da chegada do vento
Conto as folhas que sequei
Antes que chuva viesse
Em cada folha apanhada
Há uma história para contar
A história de uma vida em árvore
Que as prendia no seus ramos
Decidiu largá-las,uma a uma
E libertá-las ao sabor da sua sorte
Apanhei-as e juntei-as
Cuidei delas mesmo assim
Juntei-as com cuidado
e fiz delas um pouco de mim...

7 comentários:

  1. Olá, Luísa... muito bom aqui... uma sala de espelhos, onde refletimos para além de nós mesmos.

    E continuemos a trocar olhares...hanik

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Muito obrigada pelo comentário em meu blog...
    Eu adorei seu espaço!

    Toda folha que cai,tem uma história,por isso nenhuma cai por acaso...

    beijo grande poetisa!

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Ah, e quanto à pergunta se a menina dança...

    Bem,ela dança de um jeito único e secreto,preparando-se para quando encontrar alguém...

    rsrsrs

    bjs

    ResponderEliminar
  5. Obrigada pelo comentário, Luísa!

    Nossa, que imagem linda, parece a que postei no blog hoje. Sintonias...

    Abraço.

    ResponderEliminar
  6. obrigada por sua visita! encontrei aqui o mesmo sentimento de outono, do que dele fica.
    Gostei!
    Era deste poema que você falava?
    um abraço,
    Ana Cecília

    ResponderEliminar
  7. ...
    -Eu sempre me pergunto quem é mais livre: a folha que se prendeu até cair de amarela, ou a que se deixou levar verde pelo vento? ...

    ResponderEliminar

Olhares de perto