domingo, 2 de novembro de 2008


Desde o dia em que nasceste
Que temo não segurar a tua mão!
Releio a dedicatória que escrevi no último livro que te ofereci:
"...gostaria de te construir um mundo de betão, onde a injustiça e a tristeza não entrassem"...
Este mundo de betão para o qual te preparamos, tem fissuras como anomalia de construção.
A argamassa dilatou e cedeu às externalidades. Por isso, tento todos os dias transmitir-te os mais importantes valores do ser humano para que, em confronto com o que o mundo te reserva (de bom e mau), saibas enfrentar e reagir.
Dar-te-ei sempre a mão, mas também saberei deixar-te seguir o teu caminho.
Amar é também libertar...
Voa meu pássaro veloz. Alcança tudo o que desejas que eu estarei cá para te ver voar!

7 comentários:

  1. libertar em nós e nela, e esse caminho estás a faze-lo na perfeição.

    ResponderEliminar
  2. É bom quando sentimos segurança por parte de alguém.
    Dar a mão é como ajudar alguém a pular um barranco e depois deixar seguir o seu caminho no outro lado do ribeiro.
    Que tenhas uma excelente semana.

    Beijinhos.
    Miguel

    ResponderEliminar
  3. Dalaila,

    mesmo o que fazemos bem feito deixa em nós o medo da margem de erro...

    Miguel,
    é isso mesmo. Essa é a ideia...dar a mão para deixar voar numa liberdade segura!
    Uma excelente semana para ti também!

    ResponderEliminar
  4. Amor de mae é assim!

    Saudades de sentir o calor e a segurança que a mão da minha mae me transmitia!

    Um beijinho da Cinha para uma das melhores maes que conheço...a Lu.

    ResponderEliminar
  5. Olá Cinha!
    obrigada pelas doces palavras. quanto ao calor de mãe acho que o vamos sentir eternamente, nem que seja na saudade!

    ResponderEliminar
  6. Em nome de um bando de "pardais", não podia deixar de dar uma olhadela pelas palavras de quem, com tanto carinho,acompanha os seus "voos".
    Parabéns por tudo o que escreve. Como mãe, e como educadora, senti como minhas as suas palavras.

    ResponderEliminar
  7. Há elogios que nos fazem corar...
    Obrigada pela visita e conte connosco para ajudar a promover o voo dos pardalitos. Serão "um bando de pardais à solta" com orientação sua (que já marcou a diferença).

    ResponderEliminar

Olhares de perto