sexta-feira, 23 de maio de 2014

Anda, entra!

foto de Carmen Perez Alvarez - lareira de Pazo de Sabadelle

Anda, entra, traz as achas para a fogueira,
acende o lume que aquecerá a tertúlia!
Falaremos da serra, do verde que a acompanha,
da rapariga de saias e do velho que a admira, sem manha!
Anda, a lareira espera-nos,
em grupo, sozinhos,
com sorrisos alegres que lembram sonhos de meninos!
Anda! Sente o cheiro da casa,
levanta a tampa das panelas e dá uma mexida nas favas!
Se de fumeiro gostares, corta rodelas de salpicão,
parte a broa com a mão e junta-lhe um pouco de vinho!
A conversa está animada,
os laços de amizade mais apertados...
...e a noite é ainda menina!



5 comentários:

  1. Aprecio ouvir histórias à lareira, Luísa.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  2. Mais um lindo poema. Fala da lareira, das conversas animadas...tudo com uma mescla de coisas lindas, fogo, sabor da comida, natureza com as várias tonalidades de verde e sobretudo a amizade que se estreita entre as pessoas que recebem o calor da fogueira e que se sentem tão acolhedoras.. Maravilhoso. Silvana

    ResponderEliminar
  3. Gostei, a sério. E que cheirinho a nostalgia...

    ResponderEliminar
  4. Luisa, com as coisas boas de verdade desperta mil sentimentos.
    Afinal, somos todos de barro.

    ResponderEliminar
  5. Este é um poema de eleição. Como sempre está em grande.

    Beijo Fi

    ResponderEliminar

Olhares de perto