domingo, 25 de maio de 2014

Poderás

foto by Luísa - Guimarães

Poderás dizer o quanto fria se curva  a estrada,
Ver que na linha inclinada espreita a alvorada!
Poderás dizer que o sol já beija a casa amarela,
que aquece o paralelo e ilumina a rua acordada!
Poderás dizer que o dia tem muitas horas,
que nos minutos que passam se contam histórias
que as janelas ouvem em silêncio...
Poderás começar a rua na madrugada
mas não saberás dizer quantas rezas se contam
nas pedras da calçada!
Poderás...

5 comentários:

  1. Sim podemos ver tudo isso, mas na verdade não sabemos quantas rezas, quantas dores, quantas lágrimas se contam nas pedras da calçada. Quantas pessoas as calcam com tanto sofrimento. As minhas lágrimas já molharam as pedras da calçada, Boa noite Dra. Luisa

    ResponderEliminar
  2. Mas, nem só de lágrimas ou dores se alimenta essa rua.
    Quantos amores já aí foram vividos e serão ainda mais os que se segirão !
    Obrigado, Luísa !

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Sei que o sol virá endireitar o que a noite curvou curando as pedras dos arrepios no(c)turnos.
    O poema é um belo argumento. Com a fotografia o filme ficou completo.
    Boa semanada, Luísa!

    ResponderEliminar
  4. Está excelente. Cabe aqui inteirinho o subtítulo do Blog: "Um olhar para além daquilo que se vê e muito perto do que a alma sente!"
    As pedras milenares contam-nos as histórias que quisermos ouvir...
    Beijinho.

    ResponderEliminar
  5. Poderás dizer que o dia tem muitas horas,
    que nos minutos que passam se contam histórias
    que as janelas ouvem em silêncio...
    Cantas historias contarian as pedras...se soupesemos escoitalas...
    cantas lagrimas ..cantos sorrisos..cantas vidas..cantos sonos....cantas esperanzas

    ResponderEliminar

Olhares de perto