quinta-feira, 17 de julho de 2014

Sons campestres

foto de Carmen Perez alvarez

Estão em uníssono a cantar o verão!
Quem não sente o seu perfume
não vê o campo em orquestra!
Trabalham todo o dia em afinação de cores
com acordes de tempo delicioso!
Tal saia rodada de menina,
estampada por cópia alegre,
ouvem-se os seus cantos entre xailes bordados.
Senta-te, não vás embora!
Sente  o clarinete soprar...

10 comentários:

  1. Vejo a orquestra e os arcos dos violinos.
    A maestrina tudo orienta !

    O calor da plateia é mais certo do que este verão junto ao mar.

    Um beijo, Luísa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijinhos meus, pela tua sempre boa audição das minhas palavras!

      Eliminar
  2. "Quem não sente o seu perfume/não vê o campo em orquestra." Perfume das flores, de várias cores, lindas, sons das abelhas, dos pássaros, brisa das borboletas e tudo se mistura transformando o campo numa linda orquestra. Felizes daqueles que têm uma alma, um sensibilidade que capta tanta harmonia! Silvana

    ResponderEliminar
  3. "Estão em uníssono a cantar o verão!Quem não sente o seu perfumenão vê o campo em orquestra!Trabalham todo o dia em afinação de corescom acordes de tempo delicioso!"
    é um poema cheio de graciosidade, parabéns, bjinhos

    ResponderEliminar
  4. Uma verdadeira sinfonia que a nossa ânsia de chegar nem sempre nos deixa "sentir o seu perfume" ou "ver o campo em orquestra".
    E é verdade: precisamos sentar para sentir "o clarinete tocar" os sons gratuitos do Criador. Beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. um espetáculo gratuito. Basta querer sentir...
      Bjnhs

      Eliminar
  5. Obrigado Luísa,

    Sente-se o pulsar da vida
    nessa paleta de cores
    uma nota cada uma.
    E ouve-se ao fim da tarde
    sem fazer alarde
    uma brisa de oeste:
    são os cisnes de Tchaikovsky.

    ResponderEliminar

Olhares de perto